17/08/2015 - Manifestantes protestam contra o governo federal em Cuiabá

Manifestantes saíram em passeata contra o governo federal na tarde deste domingo (16), em Cuiabá, da Praça Alencastro, na região central da cidade, em direção à Praça Oito de Abril, passando pela Avenida Getúlio Vargas. A maioria deles vestia roupa verde e amarela. No início do protesto, fazia muito calor.

A Secretaria de Segurança Pública de Mato Grosso (Sesp) informou que o protesto reuniu 14 mil pessoas. Já os organizadores do evento avaliam que 20 mil tenham participado do evento.

Policiais militares acompanham o ato. A secretaria, no entanto, alegou que o número de policiais não pode ser divulgado.

 

Na passeata, manifestantes carregaram caixão com foto da presidente (Foto: Renê Dióz/ G1)

 

Aos gritos de 'Fora Dilma' e empunhando cartazes com frases de protesto, os manifestantes deixaram a praça mais de 30 minutos acima do horário previsto. Antes da saída, eles cantaram o hino nacional.
Durante a concentração, os participantes fizeram um enterro simbólico da presidente Dilma Rousseff. E, na passeata, carregaram esse caixão contendo uma foto da presidente.

"O brasileiro não é palhaço e está cansado de tanta corrupção. É por causa dela que mulheres, crianças, anciãos estão deitados nos prontos-socorros mal atendidos. Queremos mudança no país", disse o aposentado Marcos Aurélio Tenen.

O percurso que os manifestantes devem seguir tem cerca de 2 km, segundo os organizadores do evento, o grupo Gigantes Brasileiros.

 

Com o rosto pintado, jovem segura cartaz de 'Fora Dilma, Fora PT' em Sorriso (Foto: Rachel Rocha/ Centro América FM)

 

A caminhada durou menos de duas horas. Ao longo do percurso, algumas pessoas aderiram à manifestação. Conforme a polícia, cerca de 800 pessoas começaram a passeata e, ao final, o evento teve a participação de 14 mil.

 

 

Para os organizadores, o número foi aquém da expectativa, de 30 mil. Luciano Passos, que integra o movimento 'Gigantes Brasileiros', contou que durante o percurso os participantes se sentiram intimidados por manifestantes pró-governo. "As pessoas se preocupam com a integridade física de suas famílias, em primeiro lugar. Isso foi uma afronta à população brasileira", declarou.


Em Mato Grosso, também foram realizados protestos em Sorriso, Sinop, Barra do Garças e Rondonópolis. Em Barra do Garças, o protesto reuniu cerca de 100 pessoas, segundo a Polícia Militar da cidade. A mesma quantidade de público foi registrada em Sorriso. Já em Rondonópolis o número foi menor, 30, de acordo com a polícia. Porém, os organizadores do evento estimam 50. E, em Sinop, mais de mil pessoas saíram às ruas, de acordo com os organizadores. A Guarda Municipal que acompanhou a passeata não quis informar a estimativa de público.

Enrolado na bandeira do Brasil, o aposentado Amarílio Carvalho, de 83 anos, conhecido como 'Velho Noel', foi um dos 100 participantes do protesto realizado em Barra do Garças, a 516 km de Cuiabá.

Aposentado de 83 anos participou de manifestação em Barra do Garças (Foto: Ivan de Jesus/ Centro América FM)

"Temos que mostrar para as crianças e jovens que o Brasil não é constituído só de políticos corruptos. Queremos que os políticos sejam austeros e incorruptíveis e luto pelo país que tanto amo", declarou.

 

 

G1 MT

 

Comentários

Data: 16/08/2015

De: Ruy Sant'Anna dos Santos

Assunto: Enfraquecimento e extinção da PM. Psicose totalitária do governo

QUEDA DA BASTILHA BRASILEIRA E AJUDA À PM
Por, Ruy Sant’Anna.
Quem pode negar que as fontes que alimentam à imprensa nacional são os descontroles do governo e os crimes que ocorrem no Rio de Janeiro e São Paulo, por ordem de violência destacada? E quem pode negar que as posições esdrúxulas dos que reclamam de violência, quase que invariavelmente, falam contra a ação da PM, são vítimas de traficantes e suas quadrilhas que dominam os morros, ruas, avenidas, praças e praias do Rio e São Paulo? Quem não sabe que a Polícia enfrenta o sério complicador da “lei do silêncio” imposta pelos marginais, enquanto os policiais são apontados como os violentos causadores de todo mal? Mas, quem em sã consciência conseguiria enfrentar a marginalidade na “casa” dos bandidos sem saber de onde surge ou surgirá a qualquer momento uma saraivada de tiros poderosos de armas de grosso calibre? Os fogosos pesquisadores que reforçam a preguiça governamental?
No mundo inteiro, o modelo de polícia militar é de longe o mais usado e o mais eficaz. Prova disso é que praticamente todos os países desenvolvidos possuem uma Gendarmerie, ou polícia militar ativa no combate ao crime. Tem 66 países relacionados e com a Policia Militar entre suas instituições de proteção à sociedade. Esses profissionais da segurança precisam ter uma seria seleção para novas vagas de policiais rasos, graduados e oficiais. Necessitam de constante e rigoroso acompanhamento médico, psíquico, emocional; salário à altura das ocupações com risco de morte. Os contingentes têm de acompanhar às necessidades de segurança da sociedade. Até porque os marginais têm interesse de infiltrar informantes e ativistas no meio da PM.
O que fazer se o governo é falho e inapetente para o trabalho? Nos lugares onde a violência impera, falta a promoção social à altura das necessidades populares sem propaganda mentirosa. A Polícia Militar tem por regra e compromisso social o destemor e bem servir. Por isso, ela sempre chega primeiro. Porque é chamada. Mas, e as emboscadas armadas pelos quadrilheiros do tráfico e demais bandidos será que elas não atiram, não matam policiais e civis, e intimidam a todos com o fator surpresa e poder de fogo, tudo sustentado com muito dinheiro? Contudo, alguns policiais podres se enfraquecem, pela corrupção, prejudicando a instituição policial. Isso pode e tem que ser punido sempre.
Querem que acreditemos que a PM tem como programa a matança de pessoas. O relatório dirigido às PMs principalmente do Rio de Janeiro e São Paulo esta se ampliando como modelo crítico a todas as PMs brasileiras. Essa não é a realidade.
A pesquisa “esquece” que a PM não é chamada pelos “bacanas” do governo, na defesa de seus direitos para não aparecer nas páginas policiais. Dificilmente suas ricas moradias são invadidas. Mas, a Polícia Militar é a primeira que socorre às famílias carentes, e todos os necessitados. Mas, senhores deputados e senadores não esqueçam que esta fazendo seis anos que a PEC 300 espera ser votada. A PM e a sociedade não esquecem.
Enquanto o povo está com a corda no pescoço e espera a Queda da Bastilha Brasileira, o vice-presidente Temer, com caras e bocas, e voz impostada, oferece brioche para quem tem fome e sede de credibilidade. Por isso e muito mais, queremos o impeachment da presidente e limpeza de cabo a rabo. Afinal, a bomba de efeito moral de Dilma no Congresso Nacional para neutralizar os reclamos populares contra seu desgoverno, não funcionou. Enquanto isso me solidarizo com toda a sofrida e maltratada classe de valorosas (os) e corajosas (os) PMS que ainda acalentam em seus corações e mentes o amor à Nação com exemplar dedicação cívica, e lhes dou bom dia, o meu bom dia pra vocês.
Jornalista e advogado
O artigo acima foi publicado quinta feira (13/08), no Correio do Estado e em seu site www.correiodoestado.com.br

Novo comentário