16/10/2013 - Governo antecipa data-base dos professores e encaminha fim da greve

O Governo de Mato Grosso propôs aos profissionais do ensino, que estão em greve, a antecipação da data base da categoria para o mês de março, como principal proposta para colocar fim a greve deflagrada no ensino. Com isso, antecipa-se em dois meses o aumento salarial de 5%. Atualmente, essa data base ocorre sempre no mês de maio. O encaminhamento da proposta foi feita nesta terça-feira, 15, “Dia do Educador”, durante reunião entre secretários de Estado, Ministério Público e professores. 
 
“Essa é uma solução para esse impasse. Em todo esse tempo ficou demonstrado que não há possibilidade de conceder aumentos ou reajustes salariais este ano, como reivindicava a categoria. Não que o governador Silval Barbosa não quisesse, mas por falta de condições orçamentárias” – explicou o secretário de Administração, Francisco Faiad. 
 
Pela proposta, o Governo garante dobrar o poder de compra dos profissionais da educação no prazo de 10 anos, a partir de março do ano que vem, quando será concedido aumento real de 5% acima do que prevê a inflação. Em maio de 2015, de acordo com a proposta, será aplicado mais 6% de aumento real. No ano seguinte, o reajuste será de 7% até chegar a 2023, completando 100% de reajuste acumulado.
 
Além dos 5% de aumento real, o Governo prevê aplica 5,3% de reposição relativa a inflação do período. 
 
O Governo se comprometeu ainda implantar de forma gradativa e cumulativamente  a hora atividade dos professores contratados temporariamente nos próximos três anos, escalonados da seguinte forma: 40% em 2014; 30% em 2015 e a integralidade a partir de 2016. 
 
A proposta foi entregue ao presidente do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso, Henrique Lopes do Nascimento. Na quinta-feira, 17, os professores se reúnem em assembleia geral para deliberar sobre a proposta. 
 
Os secretários do Governo demonstraram confiança de que a antecipação da data base da categoria e o escalonamento proposto para a hora atividade dos professores temporários deverão ser acatados pelo movimento grevista.  "A conquista da dobra do poder de compra que iniciará com aumento salarial de 10,30% em março de 2014” – enfatizou a secretária de Educação, Rosa Neide Sandes de Almeida.
 
Para Francisco Faiad, a proposta coloca Mato Grosso no topo da valorização dos profissionais do ensino no Brasil “Esse é um fato inédito na educação do país” – disse. “Nenhum Estado faz o que Mato Grosso está fazendo. O esforço que o Estado fará para isso é enorme. Isso mostra o compromisso deste Governo com a educação” – acentuou. 
 
O presidente do Sintep/MT Henrique Lopes do Nascimento pontuou que o 3º documento apresentado durante todo o período de paralisação avança no sentido de apontar itens diferentes. No entanto, afirmou que somente com a deliberação da categoria, após prévia avaliação, será possível acatar ou não o documento.
 
"É óbvio que a gente tem uma data diferenciada para os pontos da proposta apresentados no documento. Mas, temos que reconhecer que não estamos no mesmo lugar. Agora precisamos levar a proposta à base", disse Henrique que ainda demonstrou preocupação com as ameaças indiscriminadas feitas contra a categoria.
 
Na reunião também estiveram presentes o Auditor Geral do Estado, José Alves Pereira Filho, do líder do Governo na AL, deputado J.Barreto o procurador geral do Estado, Paulo Prado, e pelo promotor estadual de Educação e Cidadania, Miguel Slhessarenko.
 
 
Redação 24 Horas News

Comentários

Data: 17/10/2013

De: pdavida

Assunto: aumento

salario de picolezeiro

Data: 16/10/2013

De: asb

Assunto: classificados no concurso 2011

É verdade que vão chamar alguns dos classificados no concurso da prefeitura municipal de Barra do Garças de 2011? Pois existem muitos contratados. Gostaria de saber.

Data: 16/10/2013

De: ssn

Assunto: greve

que absurdo, esta é a nova proposta

Novo comentário