16/12/2011 - PJC apreende documentos na casa de vereador sindicalista de MT durante operação 'Cartas Marcadas'

 

Agentes da Polícia Civil realizaram busca e apreensão na casa do vereador Elmo Pimentel, de Torixoréu (518 km de Cuiabá). O mandado foi um dos 14 expedidos durante a operação “Cartas Marcada” deflagrada pela Delegacia Fazendária nessa quarta-feira (14). Outro parlamentar alvo de investigação é o deputado estadual Gilmar Fabris (PSD).
 
Além de vereador, Elmo também é presidente do Sindicato dos Agentes Administrativos Fazendários (AAF’s). Segundo a Polícia Civil, na casa do vereador foram apreendidos vários documentos, que agora serão analisados pelos delegados responsáveis pelo caso.
 
A participação de Elmo no suposto esquema de emissão de cartas de crédito irregulares, por meio da Secretaria de Fazenda (Sefaz), não foi confirmada pela Polícia Civil, pois o desembargador Pedro Sakamoto determinou segredo de justiça do processo, o que impede qualquer divulgação mais detalhada sobre o caso.
 
Ainda na manhã dessa quarta-feira, policiais também cumpriram mandado de busca e apreensão no apartamento e na chácara de Gilmar Fabris, em Ribeirão Preto (SP). Os agentes levaram documentos, computadores e R$ 25 mil, em dinheiro. O concunhado do deputado advogado Ocimar Carneiro de Campos, foi um dos presos durante a operação.
 
Ao todo foram expedidos seis mandados de prisão temporária, dos quais, até esta tarde, apenas quatro foram cumpridos. A operação ‘Cartas Marcadas’ visa a desmantelar uma quadrilha que emitia cartas de crédito irregulares, que teriam atingido um montante de R$ 253 milhões.
 
O grupo que articulava o esquema é formado por servidores publicos e advogados, acusados da prática de crimes contra a administração pública, estelionato, fraude processual, peculato, corrupção e formação de quadrilha. A principal fraude teria ocorrido no pagamento de certidões de cartas de crédito a um grupo de agentes fazendários.
 
De acordo com o delegado Lindomar Tófolli, o ex-secretário de Fazenda, Eder Moraes, deverá ser intimado para prestar esclarecimentos, já que o suposto esquema teve inído em 2008, durante sua gestão.
 
Da Redação - Julia Munhoz

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário