16/12/2013 - Secretário malandrinho candidato prepara ‘golpe’ em Silval

Há pelo menos dois meses o governador Silval Barbosa anunciou que todos os seus auxiliares que desejam ser candidatos na eleição do ano que vem devem entregar seus cargos até o dia 30 deste mês. No primeiro momento, calculou-se que uns 10 deixariam o Poder Executivo para buscar votos para deputado estadual e deputado federal. Com a aproximação da data, muita gente ‘pipocou’ seduzidos pelo poder. A conta hoje é de cinco – conta alta, diga-se de passagem.

 

Desses cinco que ainda falam em candidatura, de acordo com uma fonte da coluna, um pelo menos, daqui a alguns dias deve dizer que não vai mais ser candidatos. A interlocutores, confidenciou que tem “muitos projetos sendo executados” e que estaria precisando de mais tempo para consolidá-los.

 

A idéia do dito cujo é deixar o Estado em março. Lá na frente ele diria a Silval que está sendo ‘convocado’ a disputar o cargo eletivo. Aquela velha história de ‘pressão das bases’. Pura malandragem. Caso até o final desta segunda-feira o tal não anuncie que sai, a coluna vai revelar nome e sobrenome do espertinho.

 

Da lista dos que deixam o Estado é certo Francisco Faiad, de Administração, o primeiro a dizer com todas as letras que vai disputar uma vaga na Assembléia Legislativa. Outro que vai para as urnas é Francisco Vuolo, de Logística Intermodal de Transportes.

 

SÓ PARA lembrar
Dos auxiliares de Silval que se manifestaram em disputar a eleição em outubro do ano que vem, figuraram: Eder Moraes, do Escritório de Representação do Estado em Brasília; Meraldo Figueiredo Sá, de Desenvolvimento Rural; o presidente da Empresa Mato-Grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural, Valdizete Nogueira; José Lacerda, de Meio Ambiente; Ananias Martins Filho, de Esportes e Lazer; e Alan Zanatta (PMDB), de Minas e Energia.

 

JUSTIFICATIVA política
A decisão de Silval Barbosa de pedir os cargos dos candidatos até o dia 30 de dezembro tem um motivo: evitar que o orçamento do Estado ‘apodreça’ no último ano do Governo em apenas três meses. Além disso, sinaliza que o chefe do Executivo deve mesmo ficar no Governo até o final do mandato.

 

LINHA DE pensamento
Mesmo com a eminente decisão de seguir no Governo até 31 de dezembro do ano que vem, Silval Barbosa vem recebendo insistentes insinuações de que uma das forças de garantir que o ‘grupo’ permaneça no poder em 2015 seria o de investir na candidatura de Chico Daltro, do PSD. Isso mesmo: entregar o Governo para o seu vice, que disputaria a reeleição. Pesquisas mostrariam que Daltro não absorve o desgaste do Governo. Silval, nesse caso, disputaria o Senado Federal.

Isso, no entanto, são apenas uma das muitas conversas que chegam ao chefe do Executivo. A saber.

 

PT autofágico
O Partido dos Trabalhadores segue autofágico. O episódio envolvendo Carlos Abicalil e Serys Slhessarenko parece ter sido esquecido. Internamente, grupos se digladiam para fazer prevalecer suas teses e seus interesses. Há um grupo trabalhando o nome de Ludio Cabral para disputar o Governo, principalmente por agregar mais forças. Na sigla, no entanto, há quem deseja a candidatura do Julier Sebastião da Silva e não abre mão disso, prometendo até ‘bater chapa’ na convenção.

 

24 HORAS NEWS

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário