17/01/2012 - Mato Grosso tem um dos maiores índices de hanseníase do mundo (Veja vídeo)

 

No ranking mundial de hanseníase, o Brasil só perde para a Índia; há pelo menos 10 anos Mato Grosso lidera a lista de casos da doença no país, o que o coloca como uma região com mais casos registrados em todo o mundo.

O grande número de casos fez com que a TV Brasil viesse à capital fazer uma reportagem especial sobre o tema. A matéria mostra dois casos distintos, o da dona de casa Odete Ferreira dos Santos, 65, que demorou para descobrir a doença porque os sintomas eram confundidos com reumatismo; e o pescador Juvenal Francisco da Silva, 56, que chegou a abandonar o tratamento. 

O médico da família, Werley Peres, referência no tratamento da doença na capital, também foi ouvido pela reportagem. Ele lembra que os familiares de toda pessoa que foi diagnosticada com a doença devem se submeter a exames por pelo menos cinco anos para que um eventual diagnóstico da doença seja sempre feito de maneira precoce. 

“O mais fácil no combate à hanseníase é dar o remédio. O mais difícil é dar condições a essa população de, ao longo de décadas, não ter mais a doença”, opina. “Mato Grosso tem a maior prevalência de hanseníase do Brasil e é uma das maiores do mundo, então o enfrentamento não pode ser só da saúde. O enfrentamento tem que ser também de outros meios como saneamento básico, bem estar social, habitação”, finaliza. 

O Brasil registra anualmente cerca de 38 mil casos. Além do centro-oeste, o norte e o nordeste estão na lista das regiões mais afetadas com a doença. A hanseníase é uma doença infecto-contagiosa que, se tratada adequadamente, pode ser curada. 

Antigamente conhecida como lepra, a Hanseníase já foi responsável por milhares de casos de mutilação e isolamento, causando imensos prejuízos aos doentes e seus familiares. Hoje, mesmo com a possibilidade de cura, pessoas com hanseníase ainda enfrentam o estigma da doença.

 

Da Redação - Lucas Bólico



 
 

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário