17/01/2013 Deputado cobra assistência às famílias retiradas de área indígena

 

A situação das famílias que ocupavam a terra indígena de Marãiwatsédé, dos Xavantes, na região nordeste de Mato Grosso, tem gerado preocupação. Atento ao problema, o deputado estadual Sebastião Rezende aproveitou uma audiência que teve esta semana com o governador do Estado, Silval Barbosa, para cobrar a devida atenção às famílias e produtores rurais que foram retirados da área por força de decisão judicial.

Rezende alertou ao chefe do Executivo que as famílias e produtores rurais estão migrando para localidades vizinhas, superlotando cidades como Alto Boa Vista (MT), São Félix do Araguaia (MT) e Bom Jesus do Araguaia (MT). E nessas cidades, as famílias retiradas vêm passando sérias dificuldades, inclusive de falta de alimentação. “As prefeituras da região são pobres e cobram que o governador lhes dê um suporte”, externou.

Em resposta, o governador Silval Barbosa assumiu perante o parlamentar o compromisso de enviar equipes da Secretaria de Estado de Trabalho e Assistência Social (Setas) para a região, a fim de levantar a real situação e garantir a assistência necessária. Para Rezende, a assistência é o mínimo que o Estado pode fazer neste momento em prol de famílias que, por décadas, ocuparam a região e, de uma hora para outra, foram obrigadas a retirarem-se das terras.

Diante do impasse, Rezende lembra que a Assembleia Legislativa fez sua faz parte, autorizando o Governo do Estado a permutar uma área no Parque Estadual do Araguaia para que os índios se estabelecessem. Essa área no Parque Estadual do Araguaia possui extensão aproximada de 235 mil hectares, com condições de caça, pesca e desenvolvimento das suas atividades. No entanto, a justiça determinou que as famílias e produtores desocupassem as terras.

Na avaliação do parlamentar, a situação das famílias e pequenos produtores rurais da região é de extrema injustiça. “A minha posição sempre foi em defesa dos pequenos produtores rurais. Ao todo nessa região são em torno de 7 mil pessoas prejudicadas. No vilarejo do Posto da Mata, são dois postos de combustíveis, cinco templos evangélicos, além dos católicos, uma escola municipal com 800 alunos, um comércio variado. Tudo isso foi fruto de um trabalho feito pela comunidade ao longo de mais de 30 anos”, informa Rezende.

 

Assembléia Legislativa - MT ara O Repórter d Araguaia

Comentários

Data: 22/01/2013

De: O

Assunto: posto da mata

Ainda não sei como acessar os gastos com essa mega operação desumanistica, aqui quero ser solidario não com aqueles que comandam , mas sim seus comandados que só cumprem ordens e sabem muito bem o não cumprimento das mesmas..mas voltando a operação ja ouvi manisfesto que se gasta cerca de 600 a 800 mil por dia com essa ação não sei ainda o valor exato! Pergunta a quanto tempo ocorre essa operação? O dinheiro de nossos impostos ja gastos nessa famigerada operação não seria suficiente para que fosse amenizado o sorimento numa especie de compenssação aos prejudicados que realmente necessitam de ajuda, pois tem muita gente ali que tinham outros meios de vida fora dali, ja outros colocaram uma vida inteira naquele local, e a famigerada prelazia mentora desse processo, uma especie de genocidio contemporaneo, pois as pessoas estão a merce de cidade ja cabaliantes sem recursos para seus proprios cidadãos..vide saúde, educação etc.etc. a midia demagogica e alimentada por esse governo que em breve vc verão a face dele, pois o pais das maravilhas, do futebol dos estadios..vide mato grosso, nem time na 3º divisão tem..enfim o Sr. lula aprovou copa das confederações, olimpiadas e copa do mundo em um só estante e o pais as palmas..oba..!! ja sofre as consequencias desses atos de sim esse sim o verdadeiro " PÃO E CIRCO" TERRA DAS BOLSAS VALE TUDO..quem é a maioria desse pais, nós os pobres sem acesso a nada e ta tudo maravilha na televisão o sonho do dos esportes patrocinados pelas empresas de bebidas e cigarro e toda especie de males importados dos pais " desenvolvidos" onde nos cobram o platio de ávores e preservamos o ambiente atraves do terrorismo ambiental pregado a largas escalas, enquando la em seus confortaves lares os ar-condicionados nuncam ficam desligados e suas industrias as mais poluidoras do planeta e nós ainda batemos palmas..viva brasil..viva futebol..viva dilma..viva lula...haaa..vão se F......

Data: 20/01/2013

De: Áquila

Assunto: Boa iniciativa.

Valeu Deputado Sebastião Resende. - Continue lutando. Tem muita coisa para ser feita por essa região.

Data: 17/01/2013

De: Kalixto Guimaraes

Assunto: EXÉRCITO BRASILEIRO DEMOLIRÁ O QUE RESTOU DE ESTRELA DO ARAGUAIA

EXÉRCITO BRASILEIRO DEMOLIRÁ O QUE RESTOU DE ESTRELA DO ARAGUAIA.
Kalixto Guimarães/Correspondente do Araguaia.
Nenhuma cidade brasileira capital ou distrito, nenhuma comunidade, vila ou aldeia deste País, após o fim da ditadura militar, sofreu o drama da repressão e da violação dos direitos humanos com tamanha dose de violência e desumanidade da parte do poder político. Suiá-Missú e Estrela do Araguaia, não ira desaparecer como querem os seus algozes. O Brasil do futuro pode ate não ser mais o País continental de hoje, mas mesmo fracionado em dezenas de republiquetas de bananas, com o seu território vasto e riquíssimo repicado e dividido entre os piratas da globalização, a historia do povo que habitou e sonhou em construir neste cruzamento de rodovias uma bonita e promissora cidade, se perpetuara e será contada pelos seus descendentes. Contada como símbolo da resistência cidadã e da fé em Deus. A destruição de Estrela do Araguaia, representa um ato criminoso e hediondo contra os direitos humanos.
A mesma ferida e dor que os Xavante e todos os povos do mundo que um dia foram exilados de suas terras, são agora, cicatrizes sentimentais que os produtores e moradores da Suiá-Missu levaram pelo resto de suas vidas. A humilhação, a falta de respeito, o descumprimento da Constituição do País, do direito básico e fundamental do cidadão, o abuso do poder e da força política por meio do aparelhamento do Estado, são fatos que serão lembrados e contados pelas aldeias e vilas do Brasil afora. Um País gigantesco, de terras, rios e mares, ainda nunca pisados e nunca navegados é transformado em um campo de guerra étnica experimental sem precedentes. A Suiá-Missu gerou um grito de alerta que ainda, esta preso na garganta, para denunciar e impedir o que estar por vir.
O jogo da Guerra do Indigenato esta sendo preparado sutilmente no tabuleiro do azar pelos donos do mundo e as autoridades brasileiras, parecem ter sucumbidas ao xeque mate do generais do império da Águia. O mais absurdo de toda essa historia é que o nosso glorioso Exército Brasileiro, esta fazendo o papel de "morde que eu assopro." Presente na força-tarefa, junto com a FUNAI, PF, PRF e Força Nacional, O Guardião da Nação Brasileira, com tropas do 58º Batalhão de Infantaria Motorizada e do Batalhão de Engenharia e Construções, 9º BEC, colabora com o despejo dos produtores da Suiá-Missú e moradores do Distrito de Estrela do Araguaia, numa vergonhosa operação que chamam de "desintrusão." Com as ultimas famílias expulsas de suas propriedades e residências deixando o perímetro rural e urbana da Suiá-Missu, que foi confiscado na mão grande pela FUNAI, com permissão da turma dos Petralhas e da Justiça Federal, O EXÉRCITO BRASILEIRO, está pronto para demolir, destruir, extinguir e apagar de vez, ESTRELA DO ARAGUAIA.

Data: 17/01/2013

De: Claudemir

Assunto: CPI NA FUNAI E NO INCRA

QUEM SABE SE O NOBRE DEPUTADO NÃO PEDE UMA CPI NA FUNAI E NO INCRA PRINCIPALMENTE NOS RESPONSÁVEIS QUE ATUAM NAQUELA REGIÃO? VAMOS AGUARDAR UNS TEMPOS PRA VER O QUE FARÃO VERDADEIRAMENTE COM AQUELA IMENSIDÃO DE ÁREA, JÁ QUE A QUANTIDADE DE INDIOS É BEM POUCA POR ALI.

Data: 17/01/2013

De: Beatriz

Assunto: Desocupação

"ERAM" Deputado!!
Pq hj não existe mais nada.Posto da Mata ou Estrela do Araguaia ACABOU!!!
E agora ???As famílias estão vivendo e morando de doações!!Sem trabalho,sem moradia sem assistência alguma.Como irão resolver esse grave problema social que os mandatários desse país criaram?Cadê "Direitos Humanos"??Muito triste tudo isso.Me solidarizo com essas pessoas!

Novo comentário