17/08/2012 Assessor de Chico Daltro denuncia propina e fraude em licitação do VLT

O ex-secretário de Cultura do Estado João Malheiros (PR), candidato a vice do empresário Mauro Mendes (PSB) terá uma reunião na manhã desta sexta (17) com os professores e artistas da pasta para tratar dos atrasos na folha de pagamento enquanto estava frente à secretaria. A classe ainda reivindica um encontro com o deputado federal Wellington Fagundes, presidente regional do PR.

     Os profissionais conseguiram agendar o encontro após cerca de 20 artistas fazerem vigília, na última quarta (15), das 15h às 22h, na sede da pasta, para cobrar pagamentos referentes a 2 projetos: Proac e Intercâmbio Cultural, que estão vencidos desde janeiro.

      Caso não sejam atendidos pelo ex-secretário nesta reunião, os 20 profissionais, que estão com atraso na folha de pagamento, ameaçam uma manifestação na avenida Getúlio Vargas. Eles pontuam quer apenas o que lhes é de direito, já que os contratos firmados chegaram a ser executados ao decorrer deste ano. Os valores em débito do Governo com a secretaria variam de R$ 8 mil até R$ 20 mil para cada profissional.

      De acordo com André de Luca, professor e artista, apenas uma minoria da classe está reivindicando seus direitos. Ele explica que isso ocorre porque grande parte dos projetos aprovados é de autoria de pessoas que têm ligação direta com o Estado. “É por isso que muitos estão quietos. O que está acontecendo é ridículo. O próprio Malheiros está nos subestimando, dizendo que não temos força alguma”.

     O desrespeito à classe não para por aí. Segundo André, o governador Silval Barbosa (PMDB), tem se calado e não atende às ligações. Com a falha nos pagamentos, o Pavilhão das Artes, casarão histórico de Cuiabá, que oferece cursos gratuitos e exposições culturais, está de portas fechadas para a população. Cursos como Risoterapia, foram cancelados e não têm previsão de acontecer antes da regularização dos salários.

 

Nayara Araújo com informações para o site O Repórter do Araguaia

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário