17/08/2012 Sejudh será parceira em projeto do CNJ que leva cidadania aos indígenas

Em reunião realizada na tarde desta terça, 14, na Corregedoria Geral de Justiça do Estado do Tocantins, com participação do Juiz Federal em auxílio à Presidência do CNJ – Conselho Nacional de Justiça, Sidmar Dias Martins, foram discutidos meios de aplicação, no Tocantins, do Projeto Cidadania, Direito de Todos, criado pelo CNJ para facilitar o acesso da população indígena a documentos básicos. 

O projeto que já contemplou alguns estados brasileiros consiste num grande mutirão que leva cidadania aos indígenas através da emissão de documentação básica. Para Kohalue Karajá, coordenador de Povos Indígenas da Sejudh, essa iniciativa surge em momento oportuno, tendo em vista a importância da garantia de cidadania às etnias indígenas do Estado.

O juiz federal Sidmar Dias Martins pediu o apoio das instituições presentes na reunião para efetivar a ação no Tocantins. Ficou acordada então a parceria das instituições presentes, que se comprometeram a auxiliar na execução do projeto. A Sejudh – Secretaria da Justiça e dos Direitos Humanos é uma das principais parceiras na mobilização e poderá agir por meio da Coordenação do Balcão da Cidadania, que já levou documentação básica a vários municípios tocantinenses somente este ano.

Antes da execução do projeto será realizado um levantamento de dados no Tocantins para conhecimento das regiões onde são necessárias suas intervenções. A realização da ação está prevista para o período de 22 a 24 de outubro do corrente ano.

Representaram a Sejudh, na reunião, a superintendente de Proteção dos Direitos Humanos e Sociais, Vanessa Trigilio; o coordenador de Povos Indígenas, Kohalue Karajá e a diretora de Proteção dos Direitos das Etnias e Minorias, Karina Leiko Mito. 


Domilto Inaruri Karaja
Especialista em Direitos Humanos
do Iny Mahadu Coordenação
Aldeia Teribre, T.I São Domingos, Luciara, Mato Grosso

 

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário