17/08/2015 - "Não dá para criticar Taques e apoiar o passado em Mato Grosso"

O deputado estadual José Carlos do Pátio (SD) voltou a criticar a postura do seu colega de Parlamento, Emanuel Pinheiro (PR), em relação à gestão do governador Pedro Taques (PDT).

Para Pátio, o deputado do PR estaria fazendo uma defesa escancarada do ex-governador Silval Barbosa (PMDB), o que, para ele, vai de encontro ao desejo da população do Estado.

“Minha posição sobre o Governo e a Casa é de independência. O que quero é o correto, quero investigar, quero saber o que podemos fazer para melhorar o Estado, quero ajudar. Se isso é ser Governo ou oposição, é uma discussão irrelevante. Agora, não dá para fazer críticas ao Governo Pedro Taques e apoiar e dar respaldo para o que aconteceu no passado”, disse.

“Não adianta fazer oposição ao atual Governo e apoiar o Governo Silval Barbosa. Não dá. Quer ser oposição para apoiar o Governo do Silval? Ou é melhor ter uma postura de independência e apoiar o certo, apoiar essas investigações? Ele está fazendo jogo contrário”, afirmou.

Na visão de Zé do Pátio, Emanuel Pinheiro está se esquecendo das prioridades do Estado e focando em questões consideradas menos importantes, como o Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT).

“Não concordo com o posicionamento dele, na Assembleia Legislativa. Volto a falar o que falei e ele ficou nervoso: toda casa precisa ter prioridade. Por exemplo, a de uma casa normal, geralmente, tem como prioridade pagar o aluguel, a conta de luz, água e a alimentação”, observou.

“Agora, qual a prioridade do Estado hoje? Se eu fosse deputado de Cuiabá, defenderia o fortalecimento do Hospital São Benedito, a construção do Pronto-Socorro Municipal, a continuidade do Hospital Universitário Júlio Muller e a retomada do Hospital Central”, disse.

Segundo Pátio, o governador Pedro Taques deve se concentrar, em um primeiro momento, na melhora da rede básica de ensino, investimentos em Saúde e na Segurança.

“Se a sociedade não quiser nada disso neste momento, mas, sim, que se termine as obras do VLT, aí é uma decisão da sociedade. Mas acredito que as prioridades do Estado agora são essas”, afirmou.

“Não adianta o deputado Emanuel dizer que quero ser da situação. Não sou da base do Governo, mas quero ajudar naquilo que é de interesse público. Se o Governo está com uma proposta de interesse público, irei apoiar. Não interessa o lado que estou, cada um avalia do jeito que for. Mas se a proposta for de interesse público, irei apoiar”, completou.

Bate-boca

Zé do Pátio e Emanuel Pinheiro trocaram acusações, publicamente, no início deste mês. 

O deputado do SD alfinetou o apoio do colega republicano à gestão Silval e aos constantes embates travados em pautas enviadas pelo Governo.

Pinheiro rebateu as críticas e acusou o ex-prefeito de Rondonópolis de não ter superado o baixo número de votos que teve na eleição passada, bem como de ter uma “fixação” no deputado federal Adilton Sachetti (PSB), também ex-prefeito do município.

“Eu acho que, do outro lado do espelho, você enxerga o Adilton Sachetti ou Emanuel Pinheiro. Não é possível a paixão ou a fixação que tem no Adilton, que acabou com a sua fama de Zé do Povo em Rondonópolis, ou no Emanuel Pinheiro, que tem sido o deputado que você gosta de provocar”, disse Pinheiro, fazendo referência a si em terceira pessoa.

Já Pátio afirmou que o colega parlamentar está travando pautas do Executivo por ter perdido cargos na gestão de Taques.

“Vossa Excelência está questionando o Governo Pedro Taques porque perdeu a mamata, perdeu as benesses do poder, demitiram o seu pessoal. Eu não pedi nada para o governador e tenho independência para votar a favor ou contra. Você está ressentido, perdeu seus cargos, sua mamata. Eu não preciso disso”, afirmou.

 

 

Douglas Trielli 
Da Redação

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário