17/09/2012 Detentos abrem buraco em muro e fogem de penitenciária em MT

Vinte detentos fugiram na tarde deste domingo (16) do anexo da Penitenciária Regional major Eldo de Sá Corrêa, mais conhecida como Mata Grande, em Rondonópolis, a 218 quilômetros de Cuiabá. Segundo informações do tenente da Polícia Militar, Nilton Rodrigues Correia, os criminosos utilizaram uma barra de ferro e fizeram um buraco no muro da unidade prisional.

O grupo fugiu por volta das 15h30 (horário de Mato Grosso) durante o período de visitas. A Força Tática da Polícia Militar mantém vários homens na região de mata localizada nos fundos da unidade para recapturar os detentos. Ao G1, a direção da unidade prisional informou que cinco detentos já foram recapturados e as buscas vão continuar até a localização de todo o grupo.

Todos os familiares dos presos que estavam na unidade tiveram que deixar o local. Agentes prisionais, auxiliados por homens da Polícia Militar, vão fazer nas próximas horas a recontagem dos presos para confirmar quantos fugiram do local. O anexo abriga, em sua maioria, presos provisórios que aguardam julgamento.

Também neste sábado (15) policiais militares e agentes prisionais tiveram que fazer uma vistoria no presídio Capão Grande, em Várzea Grande, na região metropolitana de Cuiabá. De acordo com a assessoria de imprensa da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), pasta que administra o sistema prisional de Mato Grosso, no final da tarde de sexta-feira (14), três homens tentaram explodir o muro da unidade com bananas de dinamite. Os agentes que faziam a segurança perceberam a movimentação e atiraram contra os suspeitos. Na troca de tiros, duas bananas de dinamites foram deixadas para trás. A polícia fez buscas no local, mas ninguém foi preso.

Fuga em massa
A Polícia Civil por meio da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO) mantém as buscas a outros 19 presos que fugiram no dia 20 de agosto da Penitenciária Central do Estado, em Cuiabá. A fuga ocorreu depois de uma explosão que abriu um buraco no muro da unidadxe, por onde os presos passaram. Durante a noite anterior à fuga, os reeducandos serraram as grades das celas para quando o buraco fosse aberto eles pudessem fugir.

Para isso,  eles contaram com o apoio de pessoas que estavam do lado de fora do presídio. Conforme informações repassadas pela Sejudh, oito veículos estavam perto da penitenciária para ajudar na fuga dos criminosos.

G1

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário