17/11/2014 - Silvano gasta 20 vezes mais para se eleger do que o 3º mais votado na AL

deputados_al_gastos.jpg

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O deputado estadual eleito Silvano Amaral (PMDB), ex-secretário de Governo de Sinop e considerado “braço direito” do prefeito Juarez Costa, é o parlamentar que mais gastou por voto neste pleito, sendo R$ 113,24 por cada sufrágio. O peemedebista foi eleito com 15.310 votos e teve despesas na ordem de R$ 1,7 milhão. Em contrapartida, o reeleito Sebastião Rezende (PR), terceiro mais votado com 45.016 mil votos, teve custo, por voto, 20 vezes a menos que Silvano. O republicano declarou ao TSE ter investido durante a campanha R$ 238 mil e cada voto custou R$ 5,29.

O segundo campeão de gastos, por voto, foi o pedetista Zeca Viana, que despendeu quase a metade dos investimentos por voto do primeiro colocado, equivalente a R$ 70,68. Zeca, no entanto, foi o candidato que mais arrecadou durante os três meses de campanha, chegando a quase R$ 2,5 milhões. Entre os principais doares está o irmão, ex-prefeito de Primavera do Leste Getúlio Viana (PR), com uma doação de R$ 500 mil, e os comitês do deputado federal eleito Adilton Sachetti (PSB) e do governador eleito Pedro Taques (PDT).

Em terceiro, figura o ex-prefeito de Juara e ex-ficha suja Oscar Bezerra (PSB), que investiu R$ 68,73 por voto. Em quarto, aparece Pedro Satélite (PSD) com R$ 41,29. E, em quinto lugar, o ex-prefeito da Capital Wilson Santos (PSDB) que precisou desembolsar R$ 38,51 por eleitor para voltar à vida pública, mas dessa vez no Legislativo. O comitê de Taques, imobiliárias, construtoras e empresários como Eraí Maggi (PP), foram os principais doadores do tucano, que se comparado com os valores investidos por outros veteranos na política, fez uma campanha “franciscana”. O ex-prefeito arrecadou cerca de R$ 790 mil.

Entre o primeiro e o segundo candidato mais votado, Mauro Savi (PR) e Janaína Riva (PSB), que obtiveram 55.233 mil votos e 48.171 mil votos, respectivamente, o custo por voto ficou abaixo da média estadual para eleger um deputado. A média estabelecida é de R$ 32,72, mas para o republicano este valor foi de R$ 21,93, enquanto que para a social-democrata foram investidos R$ 22,06 por voto.

Entre os números que chamam atenção nas declarações dos eleitos, está a prestação de contas do deputado reeleito Walter Rabelo (PSB), que arrecadou R$ 214 mil. Este valor, de acordo com as despesas do político divulgadas pelo TSE, foi utilizado de forma integral. O curioso é que o montante ficou abaixo até das despesas para eleger um vereador na Capital.

 

 

Gabriele Schimanoski

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário