/17 - Trecho no principal acesso ao norte mato-grossense, que está em obras, apresenta trincas e asfalto cedido/

Os produtores rurais da região norte do estado estão preocupados com a segurança dos usuários da BR-364 / BR-163 que trafegam na região da serra da Caixa Furada, localizada na altura do município de Nobres. Quem passa pelo local pode notar as pistas recém-construídas com trincas e pontos onde o asfalto novo já cedeu, dando sinais de que toda a obra pode vir abaixo.

A Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT) alerta para o risco iminente às pessoas que trafegam pela rodovia, além dos prejuízos com possíveis interdições no local neste momento de escoamento da safra de milho.

Produtor rural e delegado do Núcleo da Aprosoja-MT em Nova Mutum, Alessandro Uggeri destaca que há trechos que nem mesmo foram entregues e já estão sendo refeitos. “Sempre que passamos por lá têm interdições para reparos, sendo que a obra nem mesmo foi finalizada”.  Além dos trechos que estão em reconstrução, como é o caso das estruturas da obra de arte que dá acesso ao município de Rosário Oeste, outro problema é o risco de desmoronamento. “Tem algumas partes da serra que estão desbarrancando e outras que já deslizaram”, denuncia o produtor.

Com relação aos prejuízos para o escoamento, Uggeri reforça que, em condições normais, as rodovias já apresentam problemas. Uma interdição, porém, implicaria em maior custo para o produtor, que pode chegar ao consumidor final. “Qualquer interdição ou intervenção que tiver que ser feita terá reflexo direto no preço do frete ao produtor, sem falar nos perigos para quem trafega pela rodovia”.

A Serra da Caixa Furada possui nove quilômetros de extensão e está localizada entre o município de Nobres e Posto Gil, no Km 580 da BR-163. A duplicação da Serra está dentro do escopo de trabalho das obras de duplicação de um trecho 45 quilômetros na região médio norte do Estado. Orçada em R$ 227 milhões, a obra foi licitada em 2010 pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) e até o momento não foi concluída.

A concessionária Rota do Oeste, empresa da Odebrecht TransPort, recentemente assumiu a concessão da BR-163 entre a divisa com Mato Grosso do Sul e Sinop. De acordo com a empresa, que realiza obras de duplicação em Rondonópolis, no sul, as obras de duplicação e conservação do trecho compreendido entre Cuiabá e Posto Gil são de responsabilidade do DNIT e a empresa não pode intervir no trecho questionado.

 

Escrito por assessoria

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário