18/02/2014 - Moradores retirados de Marãiwatsédé serão assentados em Santa Terezinha e Alto Boa Vista

Segue relato de representantes do Fórum de Direitos Humanos e da Terra recebidos pelo Superintendente Regional do INCRA-MT, Sr. Valdir Mendes Barranco no dia 12 de fevereiro de 2014, sobre a ação do Incra e demais órgãos governamentais quanto à invasão de não-indígenas que ocorreu no mês de janeiro deste ano na Terra Indígena Marãiwatsédé, Mato Grosso. Repassam as informações recebidas no intuito de desfazer certas notícias veiculadas pelo agronegócio na mídia.

“No ano passado, após a retirada dos posseiros da área xavante de Marãiwatsédé, 97 famílias que moravam na corrutela do Posto da Mata receberam uma casa própria no projeto ‘Casulo’  em Alto Boa Vista dentro do programa ‘Minha casa Minha vida’. Os posseiros que estavam dentro da área receberam a proposta de serem assentados no Assentamento Santa Rita, de 200 lotes, no município de Ribeirão Cascalheiras. Não aceitaram alegando ser muito longe e a terra ‘ser imprópria’ e se deslocaram para Alto Boa Vista criando um sério problema social. 

O Assentamento Santa Rita está hoje produzindo muito bem com outros assentados e uns poucos que depois se arrependeram e foram para lá. Recentemente, uma parte destes posseiros e outras famílias atraídas com ‘cerveja e carne’ oferecidos pelos fazendeiros expulsos da área, representantes da Aprosum (Associação dos Produtores Rurais da Área Suiá-Missú) voltaram no Posto da Mata ameaçando reocupar a mesma.

Reunidos então no local com a Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Fundação Nacional do Índio (Funai), Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e outros organismos públicos foi assinado um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta), determinado pela Justiça Federal tendo o Incra o prazo de 60 dias para apresentar uma nova proposta de assentamento. O advogado da  Aprosum, Luiz Alfredo Ceresim de Abreu, irmão da senadora  Kátia Abreu, respondeu que obedeceriam mas que um dia voltarão dentro da área amparados pela lei. Hoje, das quatro áreas estudadas pelos técnicos do Incra, será escolhida uma, possivelmente no município de Santa Teresinha com 20.000 ha. ou no município de Alto Boa Vista com 16.000 ha. onde serão assentadas 174 famílias cadastradas pelo mesmo Incra no ano passado. Não será feito um novo cadastramento como queriam os mentores da recente invasão.”

 

Axa.org

Comentários

Data: 19/02/2014

De: miguel

Assunto: minhas terras ed.volta

cade incra aminha terra q,vcs me prometeu.ate hojen

Data: 19/02/2014

De: miguel

Assunto: Re:minhas terras ed.volta

e a minha casa q.vcs me tapio q.ia meda ate hoje nada

Novo comentário