18/04/2012 Bradesco segue rivais e corta taxas de juros

O Bradesco anunciou nesta quarta-feira redução de juros e ampliação de limites de crédito em 21 bilhões de reais, após movimento de corte de taxas tomado este mês por bancos públicos e que já tinha sido seguido por HSBC e Santander.

O segundo maior banco privado do país cortou taxas para clientes pessoa física nas linhas de financiamento de veículos, crédito pessoal, consignado a aposentado e aquisição de bens.

 A taxa do crédito pessoal foi reduzida de 2,66 por cento para a partir de 1,97 por cento ao mês. Na linha para compra de bens a taxa mensal foi cortada de 3,54 por cento para a partir de 2,97 por cento. Em financiamento de veículos, os juros recuaram de 1,35 por cento para pelo menos 0,97 por cento ao mês.

 Na terça-feira, o Santander Brasil anunciou redução de juros em linhas de financiamentos a pequenos empresários, depois de Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal terem feito cortes agressivos de juros para pessoas físicas e empresas, numa ofensiva do governo para forçar queda no spread bancário.

 O HSBC, na semana passada, foi o primeiro banco privado a aderir, cortando juros em várias linhas.

 Segundo o Bradesco, a estratégia é "valorizar o relacionamento com os clientes, além de oferecer atrativos a potenciais novos parceiros".

 O banco também ampliou o limite de crédito em mais 9 bilhões de reais para pessoas físicas e em 5 bilhões para pessoas jurídicas. Para micro e pequenas empresas, o banco criou linha de 1 bilhão de reais para capital de giro e crédito para compra de máquinas e equipamentos, com taxa caindo de 5,56 por cento ao mês para 2,90 por cento.

 O Bradesco também disponibilizou mais 6 bilhões de reais de limite de crédito para bancos ligados às montadoras de veículos.

 

Escrito por Alberto Alerigi Jr./ Reuters  

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário