18/05/2016 - Cinco mil protestam na AL e pedem apoio de deputados para garantir RGA

18/05/2016 - Cinco mil protestam na AL e pedem apoio de deputados para garantir RGA

Cerca de 5 mil servidores seguem no protesto pela reposição inflacionária de 11,28% prevista na Revisão Geral Anual (RGA), realizado no Centro Político Administrativo (CPA), nesta terça-feira (17), segundo contagem da Polícia Militar. A organização estima 8 mil participantes. Os servidores se concentram agora na frente da Assembleia Legislativa, onde os dirigentes do Fórum Sindical já estão reunidos com os deputados estaduais no colégio de líderes.

O deputado Emanuel Pinheiro (PMDB), um dos principais representantes da oposição, afirmou que defenderia o pagamento do RGA. “Vou defender os servidores, pois o pagamento do RGA é constitucional”, afirmou o parlamentar antes da reunião.

Leia mais:

Protesto por RGA começa com baixa adesão e sindicalista diz que servidores foram pressionados a não ir
 
Nesta tarde, os servidores também protestaram em frente à Associação dos Produtores de Soja e Milho (Aprosoja), para marcar posição e cobrar a taxação das commodities para exportação, que hoje não pagam Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) em função da Lei Kandir.

Antes, eles se concentraram na frente da Secretaria de Estado de Gestão (Seges), onde foram realizadas assembleias gerais de duas categorias: do Sindicato dos Profissionais da Área Meio (Sinpaig) e dos filiados ao Sindicato dos Servidores da Carreira dos Profissionais de Desenvolvimento Econômico e Social (Sindes), que aprovaram indicativo de greve para o dia 24 de maio, além da paralisação de hoje (17).

No dia 10, cerca de 5 mil servidores participaram de uma mobilização que iniciou na Praça das Bandeiras e percorreu ruas do CPA, passando pelo Palácio Paiaguás e finalizando na Assembleia. No dia 6, o governador Pedro Taques (PSDB) anunciou que não pagaria o RGA na data base de maio, pois não havia caixa para bancar a reposição, que custaria R$ 628 milhões somente este ano, além de extrapolar os limites da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). 

Da Redação - Laíse Lucatelli / Da Reportagem Local - Wesley Santiago

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário