18/06/2015 - Polícia apresenta quadrilha acusada de executar empresário

A Polícia Civil apresentou, nesta quinta-feira (17), no Fórum da Comarca de Sinop (500 km ao Norte de Cuiabá), quatro elementos acusados da morte do empresário Paulo Yugi Terão, de 46 anos, ocorrida no último sábado (13).

Terão foi rendido quando chegava com sua caminhonete em casa. Os assaltantes levaram o empresário com o veículo e, depois de matá-lo, jogaram o corpo às margens da BR-163, próximo a cidade de Sorriso ( a 80 km de Sinop).

O desfecho do caso contou com a presença do secretário de Segurança Pública, Mauro Zaque, do delegado geral da Polícia Civil, Adriano Moraes Peralta, do comandante da Polícia Militar de Mato Grosso, coronel Zaqueu Barbosa, do diretor do Interior da PJC, Wilson Leite,  delegado regional de Sinop José Abdias Dantas e o delegado Pablo Borges Rigo, de Sorriso

Os criminosos foram identificados como Douglas Fernando Pereira Mairese, de 23 anos, Jeferson Lana, 26, Anderson Alves da Silva, 33, Eriky Ernandes Luiz Silva, 25 anos. 

Uma mulher, também foi presa acusada de participar do crime, mas ela ainda não teve o nome divulgado. 

De acordo a Polícia, Eriky foi quem abordou o empresário e dirigiu o veículo roubado com a vítima ao lado. 

Jeferson também atuou na abordagem à vítima. Já Douglas e Anderson deram apoio logístico para assalto, oferecendo rota de fuga. 

Conforme as investigações, a quadrilha, que atua no roubo de veículos sob encomenda, recebeu ordens de dentro da Penitenciária Central do Estado, em Cuiabá, para roubar uma caminhonete, que seria trocada por drogas e armas. 

"Eles não têm a vítima determinada. Vão para rua e identificam a vítima com maior vulnerabilidade. Em seguida, sequestravam a vítima para dificultar a ação policial ou evitar que a polícia fosse chamada imediatamente", explicou o delegado Pablo Borges Rigo.

Os presos vão responder por roubo seguido de morte e associação criminosa. 

Segundo o site Só Notícias, em entrevista a imprensa, o suspeito Eriky confessou participação no crime, juntamente com um outro acusado, que ainda não foi encontrado. 

Ele afirmou que iria liberar o empresário após a barreira policial, mas Paulo teria pulado da caminhonete. 

No entanto, conforme o delegado, os criminosos mataram o empresário dentro da caminhonete e jogaram corpo nas proximidades de Sorriso. 

Segundo o site, Eriky também negou que tenha recebido ordem de um criminoso, que está em presídio, para roubar a caminhonete do empresário. 

O acusado disse que não conhecia a vítima e não houve planejamento sobre o roubo. 

Conforme o site, os demais presos negaram qualquer tipo de participação no crime. 

O secretário de Segurança Pública, Mauro Zaque, destacou o empenho ininterrupto das polícias, em todo o final de semana, nas cidades de Sinop, Sorriso e Nova Mutum, para capturar os criminosos. 

“Merece destaque o trabalho conjunto da Polícia Civil com outras forças, como a Polícia Militar, PRF, Bombeiros. A mensagem que passamos para a sociedade é que as organizações criminosas não terão vida longa por aqui. Criminoso será tratado como tal", afirmou. 

"Externo minha satisfação, bem como a do governador Pedro Taques, com a atuação desenvolvida em Sinop”, completou Zaque. 

O caso

O empresário Paulo Terão, do ramo de venda de lubrificantes, foi rendido na porta de casa na cidade de Sinop, na noite do dia 12 de junho. 

Seu corpo foi encontrado na madrugada de sábado (13), às margens Rio Teles Pires, na BR-163, no município de Sorriso (a 80 km de Sinop). 

Conforme a Polícia, o alerta foi dado por um caminhoneiro, que viu os criminosos parando a caminhonete na rodovia e jogando o corpo do empresário próximo a uma ponte. 

O corpo da vítima não apresentava marcas de tiros, mas havia sinais de espancamento e um ferimento na cabeça. 

A caminhonete de Terão foi encontrada perto do município de Lucas do Rio Verde (354 km ao Norte da Capital).

 

 

Thaiza Assunção 
Da Redação

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário