18/06/2015 - TCE aprova um conjunto de "escândalos e absurdos”, diz Wilson

O líder do Governo na Assembleia Legislativa, deputado estadual Wilson Santos (PSDB), fez críticas contundentes ao Tribunal de Contas do Estado (TCE), que, na última terça-feira (16), por unanimidade, emitiu parecer favorável às contas de Governo do exercício de 2014 de Silval Barbosa (PMDB). 

Em pronunciamento na tribuna da Assembleia, nesta quarta-feira (17), Wilson afirmou que os conselheiros aprovaram "um conjunto de escândalos e absurdos”. 

“A sociedade sabe, talvez não com tantos detalhes, que o exercício de 2014 foi absurdo, algo inaceitável. Mato Grosso ganhou as manchetes nacionais e internacionais, com obras da Copa inacabadas, MT Integrado inacabado, com o abandono quase que completo do interior do Estado. Áreas públicas valiosíssimas foram vendidas para quitar débitos com agiotas”, afirmou. 

“Faço parte de uma CPI que apura a renúncia e a sonegação fiscal em Mato Grosso. Posso dizer que o que foi praticado em 2014 nesse sistema é algo sem precedentes. Empresários tiveram acesso ao
REGIME especial pela porta dos fundos, pela janela, pelo telhado. Todo esse conjunto de escândalos e absurdos, infelizmente, foi aprovado pelo TCE do meu Estado”, disse o tucano. 

Wilson Santos defendeu, contudo, que, quando chegar o momento de a Assembleia julgar as contas, os parlamentares sigam encaminhamento do Ministério Público de Contas, que emitiu parecer pela reprovação das contas de Silval Barbosa. 

“O Ministério Público de Contas, auxiliado pelos técnicos daquela Casa, sugeriu a reprovação das contas relativas ao orçamento de 2014, tendo em vista essas dezenas de absurdos. O MP, de maneira técnica, reproduziu o que a sociedade mato-grossense pensa em relação ao exercício 2014 do Governo”, afirmou. 

“Nosso balizamento, nossa referência, será o parecer do Ministério de Contas, que se manifestou pela reprovação das contas. Estamos estudando carinhosamente, analisando item por item, e este plenário será chamado, em breve, para decidir se este escândalo que tomou conta de Mato Grosso será aprovado ou reprovado. A aprovação é um estimulo a impunidade”, disse. 

Em seu pronunciamento, Wilson lembrou que são necessários 13 votos, dos 24 parlamentares, para que as contas de Governo de Silval sejam reprovadas. 

“Este plenário terá o livre arbítrio de decidir se o que a sociedade diz lá fora vale ou não vale. Cabe a nós votarmos as contas do exercício 2014. Serão necessários 13 votos para reprovar as contas e dar uma resposta séria, ética e corajosa, indo ao encontro do que a sociedade exige de parlamentares sérios”, afirmou Wilson. 

“A sociedade já reprovou contas de 2014, espero que a Assembleia possa reformar esse parecer do TCE e possa cravar a reprovação dessas contas”, completou. 

Deputados “engrossam coro” 

Também subiram à tribuna para apoiar as declarações de Wilson Santos os deputados Leonardo Oliveira (PDT) e Wancley Carvalho (PV). 

“Venho fazer coro ao deputado Wilson Santos. Nós, parlamentares, somos os verdadeiros representantes do povo de Mato Grosso. Cabe a nós reprovarmos essas contas. Essa vergonha não passará por essa Assembleia, pelo bem do Estado, que sofreu com descaso e coma falta do Governo nos seus direitos básicos”, disse Leonardo.

“Essa Casa não pode se curvar diante desse parecer do Tribunal de Contas. Vamos nos debruçar em cima desses números, pois, para mim, esse parecer do TCE é simplesmente inadmissível”, emendou Wancley. 

 

 

Camila Ribeiro 
Da Redação

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário