18/09/2012 Eleitores denunciam "derrame" de combustível e taxam candidatos de "otários"

Que Deus proteja nossos pobres eleitores, mas a “Máfia do Combustível” está na área. Além da infinidade de promessas dos candidatos à Prefeitura de Cuiabá e à Câmara Municipal da Capital, uma coisa está chamando a atenção, o “derramamento” de combustível, que pode ser legal, mas também é imoral. Tudo às claras, menos para quem deveria fiscalizar. Agora uma novidade. O eleitor que já classifica alguns candidatos de “otários”, vai receber tudo que lhe oferecerem, mas não vai votar em quem compra voto.

Chateado com a invasão dos “mafiosos” e as ofertas do chamado “Vale Combustível”, ou com distribuição de dinheiro “vivo”, um morador do bairro Planalto que se identificou como Mário, de 48 anos, denunciou.

“Os Ministérios Públicos, Estadual e Federal, bem que poderiam acordar, ou abrir os olhos para a Máfia dos Combustíveis, que na prática nada mais é do que a compra de votos antecipadas”, alertou.

A reportagem do Portal de Notícias 24 Horas Horas News passou o final de semana investigando e comprovou o “derramamento” de “Vales Combustíveis”, e em alguns casos candidatos estão distribuindo notas de R$ 50 na maior cara de pau.

Agora o que a reportagem apurou mesmo, e isso os candidatos não sabem, é que mais de 90% dos eleitores consultados, estão recebendo "Vales Combustíveis” e também vão receber dinheiro na véspera e no dia da eleição, em sete de outubro, mas não vão votar nos candidatos que compram voto.

Dona Maria, do bairro Bela Vista, por exemplo, traz uma visão bem clara e objetiva de sua intenção de voto. Ela garante que já tem seu candidato favorito, mas também afirma que se lhe oferecerem dinheiro como na eleição passada, ela vai receber, só para ganhar um dinheirinho.

“Os caras pensam que a gente é otário, mas eles é que são otários. Nós somos pobres, mas não somos burros. O tempo dos bandidos que só aparecem em tempo de campanha eleitoral continua, mas nós mudamos. Já tenho meu candidato, mas o otário que quiser comprar o meu voto eu vendo, mas não voto”, afirmou a moradora.

Um casal que mora no bairro Itapajé, região do Coxipó. Um morador do bairro Alvorada e dois eleitores do bairro Verdão tiveram a mesma opinião de dona Maria e vão fazer a mesma coisa caso um candidato queira comprar seus votos.

Um eleitor do bairro Santa Rosa foi mais além. “Eu estava em um posto de gasolina  quando recebi um vale combustível de um candidato. Claro que eu aceitei, só que o meu voto já tem destino certo.

O estudante Cleber de 25 anos, morador do centro de Cuiabá tem a mesma opinião. Ele está entre os mais de 90% dos eleitores que vão receber dinheiro para votar em um determinado candidato, mas vai votar em outro.

“Os caras são uns verdadeiros otários. Amigos candidatos, agora somos nós quem alertamos vocês. Abram os olhos, os tempos mudaram. Vocês vão gastar dinheiro à toa. Isso prova uma corrupção antecipada de candidatos que sonham com o poder para poder recuperar o que gastaram”, conclui.

 

José Ribamar Trindade
 

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário