18/09/2014 - Caminhos da Safra: Saída pelo Norte acirrará competição logística no Brasil

BR-163 entre Cuiabá e Santarém. Rodovia é importante para escoamento de grãos para o Norte do país (Foto: José Medeiros/Ed. Globo)

 

Obras que viabilizam exportação de grãos pela Bahia, Maranhão e Pará refletem uma grande mudança no setor

 

Na avaliação de Aurélio Pavinato, diretor-presidente da SLC Agrícola, está havendo uma grande mudança na logística brasileira: a saída da produção pelo Norte do País. “É a primeira mudança significativa em anos. Nos próximos 3 ou 4 anos quando os portos do Norte forem concluídos, bem como a BR 163 e a BR 158 haverá a competição para o Norte e isso é muito importante para o setor”, diz. 

De acordo com o empresário, o que foi feito no agronegócio nos últimos anos se deve a uma pressão da demanda mundial. “O Brasil aumentou sua produção não porque queria, mas porque havia demanda mundial por alimentos. E todo mundo paga a conta da logística cara. Se a demanda é alta e a soja do mato Grosso esta cara por causa da logística este aumento é repassado para todos”, avalia.

No longo prazo, o agronegócio permanecerá com a demanda em alta. “De 2013 para 2014 a demanda de soja cresceu 6%, e a produtividade cresceu apenas 1%, portanto 5% de aumento tem que vir via expansão de área”, diz. Nos últimos dez anos, a demanda pela soja cresceu 3% ao ano, mesmo patamar de crescimento previsto para os próximos dez anos. “O Brasil é o país com a maior oferta de terra disponíveis para a agricultura e  o preço da commodity terá que ser alto o suficiente para pagar essa expansão”,afirma.

Pavinato acredita que o Brasil continuará crescendo na próxima década , "mas o que eu vejo é que a produção sempre chega antes da logística e agora a logística está chegando porque o mundo pediu produção e o Brasil está produzindo. O investimento em logística vai ter que existir, porque o Brasil vai se transformar no maior exportador de alimentos do mundo”, conclui.

 

Escrito por Luciana Franco, de São Paulo (SP