18/09/2014 - SISTEMA PENITENCIÁRIO: Governo já ofertou quase mil vagas no Pronatec

A Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh) ofertou em 2014 quase mil vagas para os recuperandos do sistema penitenciário se qualificarem por meio do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec).

Ofertados pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), os cursos são geridos nas unidades – cadeias, penitenciárias, albergados e outros –, por meio da Fundação Nova Chance (Funac), ligada a Sejudh.

Os recursos são custeados pelo Governo Federal e tem por objetivo principal expandir, interiorizar e democratizar a oferta de cursos de educação profissional técnica de nível médio e de cursos de formação inicial e continuada. “A qualificação dos recuperandos é de extrema importância pois os prepara, de forma concreta, para o retorno à sociedade, dão a eles subsídios para a reinserção social”, avalia o secretário de Justiça e Direitos Humanos, Luiz Antonio Pôssas de Carvalho.

De acordo com a presidente da Funac, Neide Mendonça, a qualificação profissional, tanto a presencial como a distância “aumenta as oportunidades educacionais, trabalha a autoestima do recuperando e lhe dá chances reais de ocupar uma vaga no mercado de trabalho, tão logo retornem ao convívio social”.

Só no 1º semestre deste foram implantadas 560 vagas. As Penitenciárias de Água Boa, Rondonópolis, Sinop, e em Cuiabá, a Penitenciária Feminina Ana Maria de Couto May e Penitenciária Central do Estado (PCE) foram contempladas com o programa.

As cadeias de Arenápolis, Barra do Garças, Cáceres, Diamantino, Nova Xavantina, Porto Alegre do Norte e o Centro de Detenção Provisória de Tangará da Serra, além da cadeia pública de Várzea Grande e do Albergue Masculino também sediaram diversos cursos.

No 2º semestre, o Pronatec ofertou, numa primeira etapa, 380 vagas. As inscrições e as aulas já estão com data para começar nas cadeias de Jaciara, Alto Garças, Alto Araguaia, São Félix do Araguaia, Centro de Ressocialização de Cuiabá (CRC), Centro Detenção Provisória de Tangará da Serra e Santo Antonio de Leverger.

Os cursos mais procurados são os que capacitam profissionais na área da construção civil. Pedreiro, Eletricista, Aplicador de Cerâmica e Auxiliar de Manutenção Predial são os que registram mais inscritos, enquanto que os cursos de Costureiro, Manicure e Pedicure, Salgadeiro, Confeiteiro e Auxiliar Administrativo vem em seguida no número de interessados.

 

Escrito por RODRIGO MACIEL MELONI