18/09/2015 - Filho, irmã e motorista de Nadaf receberam propina, diz Polícia

18/09/2015 - Filho, irmã e motorista de Nadaf receberam propina, diz Polícia

Todas as testemunhas ouvidas nesta quarta-feira (16) sobre o suposto esquema de corrupção e lavagem de dinheiro, durante a gestão do ex-governador Silval Barbosa (PMDB), receberam cheques de propina entregues pelo ex-secretário de Estado Pedro Nadaf. 

A informação é Delegacia de Combate à Corrupção, da Polícia Judiciária Civil, ao fazer um balanço parcial dos trabalhos da Operação "Sodoma", deflagrada na terça-feira (15).

Entre as testemunhas, estão o filho do ex-secretário, Pedro Jamil; a irmã dele, Yasmin Nadaf; o primo, Marcos Nadaf; o motorista, Marcos Flávio de Oliveira; e a ex-secretária executiva da Junta Comercial de Mato Grosso (Jucemat), Narjara de Bairros.

Além deles, a Polícia Civil já confirmou que a atual mulher de Pedro Nadaf, Geiziane Rodrigues Antelo, e a ex-mulher, Cibelle de Aguiar Bojikian, também receberam cheques do ex-secretário. 

Os valores dos cheques, entretanto, não foram informados.

Conforme a Polícia Civil, Nadaf teria recebido dois cheques da empresa DCP Máquinas e um da Casa da Engrenagem. 

Ambas fazem parte do grupo Tractor Parts, que admitiu ter pago R$ 2,6 milhões a Nadaf em troca da obtenção de incentivos fiscais em Mato Grosso.

Desse total, parte foi depositada nas contas correntes das testemunhas que foram ouvidas hoje e que são do círculo ligado a Pedro Nadaf. A outra parte ficou com o próprio ex-secretário, segundo a Polícia. 

“Os conduzidos desta manhã são pessoas beneficiadas com cheques entregues pelo ex-secretário Pedro Nadaf, que teria recebido R$ 2,6 milhões do empresário colaborador das investigações, em propina para manutenção de benefícios, via Programa de Desenvolvimento Industrial e Comercial de Mato Grosso, o Prodeic, vinculado à Secretaria de Estado de Indústria Comércio, Minas e Energia (Sicme)”, diz a nota da Polícia Civil, divulgada nesta tarde. 

Pedro Nadaf e o ex-secretário de Fazenda, Marcel Souza de Cursi, foram presos na terça-feira. 

O ex-governador Silval Barbosa (PMDB) também teve a prisão preventiva decretada e é considerado foragido.

Buscas e apreensões

Na terça-feira, 11 mandados de busca e apreensão foram cumpridos nas residências dos ex-secretários Pedro Nadaf, Marcel de Cursi e do ex-governador Silval Barbosa, além da Federação de Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado (Fecomércio), NBC Assessoria Consultoria e Planejamento e Invest, e ainda nas residências de três parentes dos suspeitos. 

Também foram cumpridas três conduções coercitivas e dois monitoramentos eletrônicos.

Nas buscas, conforme a Polícia Civil, foram apreendidas um veículo 


, cerca de US$ 3 mil dólares, documentos físicos e eletrônicos, que somam 11 malotes.

A operação 

As investigações que resultaram na Operação “Sodoma” apontam a existência de um esquema criminoso de corrupção e lavagem de dinheiro, em 2013 e 2014, relacionado à concessão de incentivos fiscais, por meio do Prodeic (Programa de Desenvolvimento Industrial e Comercial de Mato Grosso).

As investigações ocorrem há quatro meses, sendo conduzidas pela Delegacia de Polícia Fazendária, em parceria com o Laboratório de Tecnologia contra Lavagem de Dinheiro (Lab-LD).

O nome da operação é uma referência à cidade de Sodoma, que foi destruída em razão dos elevados níveis de corrupção praticada pelos seus moradores

 

 

 

Thaiza Assunção 
Da Redação

.

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário