18/11/2014 - MP/GO denuncia mais 23 pessoas envolvidas na Operação Tarja Preta

O Ministério Público de Goiás ofereceu mais uma denúncia criminal no Tribunal de Justiça, como desdobramento da Operação Tarja Preta.

Desta vez, foram denunciadas 23 pessoas pelos crimes de corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro, inobservância das regras financeiras, dispensa indevida de licitação e fraude de licitação em Aragarças.

Os denunciados são o prefeito de Aragarças, Aurélio Mauro Mendes; o procurador-geral de Barra do Garças, Emerson Ferreira Coelho Souza; os secretários de Agricultura e de Saúde de Aragarças, José Carlos Martins Leão e Alex Almeida Leão; a ex-servidora de Aragarças Ilca Maria Granja; a servidora do Setor de Licitação de Aragarças, Suelen Freire de Almeida, e a pregoeira de Aragarças, Daiane Cristina de Oliveira Rohden.

O MP denunciou também os membros da Comissão Permanente de Licitação de Aragarças, Jaime Gomes da Silva, Jarbas Alves de Brito, Jair Lopes da Silva e Flávio Ferreira Coelho Souza; a ex- assistente jurídica do município, Cássia Carmo Farias, e a ex-chefe da Controladoria Interna, Maria Felizarda Ferreira Cabra.

Por fim, foram denunciados o administrador da J.Médica e Pró-Hospital, Edilberto César Borges; o sócio da Pró-Hospital, Edilberto César Borges Filho; os sócios da J. Médica, Jaciara Garcia Boges e Milton Machado Maia, o sócio da Ideal Hospitalar, Valderlei José Barbosa. Ainda, o representante da Ideal, Domingos Amorim da Silva; o representante da Única Dental, Joel Paulo de Lima; o gerente nacional de vendas da Stock Hospitalar, Wilson Lemos Ferreira, e os representantes e supervisor da Stock, Fernando Bueno Ferreira e Dilermando Gonçalves de Moraes Neto.

A denúncia foi assinada pelo procurador-geral de Justiça, Lauro Machado Nogueira; o coordenador da Procuradoria de Justiça Especializada em Crimes Praticados contra Prefeitos, Marcelo André de Azevedo, e os promotores de Justiça do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado, Juan Borges de Abreu, Luís Guilherme Gimenes e Rafael Simonetti da Silva.

Segundo adiantam os membros do MP, com a finalização da transmissão e da análise das informações da quebra do sigilo bancário dos investigados, em breve serão oferecidas novas denúncias em relação aos demais municípios investigados na Operação Tarja Preta.

 

 

Escrito por assessoria - edição Kassu/ÁguaBoaNews

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário