19/02/2015 - Governador incentiva a criação de CPI para investigar o VLT

O governador Pedro Taques (PDT) afirmou que é favorável à instauração de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) na Assembleia Legislativa, para apuração de eventuais irregularidades na obra do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) em Cuiabá e Várzea Grande. 

Ele se reuniu, na última semana, no Palácio Paiaguás, com a deputada estadual Janaína Riva (PSD) e debateu sobre o assunto. 

A parlamentar já anunciou que estuda a possibilidade de propor a CPI para investigar, não só a obra do modal de transporte, mas todas aquelas referentes â Copa do Mundo, nas duas cidades.

“Eu recebi a deputada Janaína Riva, ela me perguntou se não seria importante a criação de uma CPI. Eu disse a ela que toda a investigação é importante, a Assembleia Legislativa precisa investigar, sim, isso aí”, afirmou o governador.

Taques lembrou ainda que, desde o início da preparação da chamada “Copa do Pantanal”, ele se mostrou contrário à implantação do VLT. 

“Eu, como senador, assim como o senador Blairo Maggi, defendíamos a implantação do BRT (Bus Rapid Transport). Quando decidiram pela implantação do VLT, fui uma das únicas vozes que se colocaram favoráveis à fiscalização. E, por conta disso, eu 'apanhei' muito da imprensa”, disse Taques. 

“Como senador, eu fiz vários discursos alertando para todos esses problemas que encontramos agora. A Assembleia Legislativa tem parte nesse latifúndio e essa investigação tem que ocorrer”, completou ele. 

A deputada Janaína Riva disse que irá aguardar a retomada dos trabalhos na Assembleia Legislativa – por conta do feriado prolongado do Carnaval – e, então, irá conversar com os demais parlamentares sobre a possibilidade de criação da CPI. 

“Acho importante a população saber quem são as pessoas que participaram disso tudo”, disse ela, se referindo ao resultado do levantamento feito pelo atual Governo e que aponta uma série de erros na execução das obras do modal de transporte coletivo. 

“Maior escândalo” 

Em entrevistas recentes, o governador Pedro Taques disse que o VLT será o “maior escândalo” da história de Mato Grosso. 

Segundo ele, o fato é decorrente das graves falhas na execução do projeto, bem como do suposto desvio de dinheiro público do obra. 

“Você conhece uma obra no Brasil que, porventura, não tenha sido desviado R$ 1? E uma obra de R$ 1,477 bilhão, você acha que nenhum real foi desviado?”, questionou ele. 

Até o final deste mês, Controladoria Geral do Estado terá em mãos o resultado das auditorias acerca dos relatórios emitidos pela empresa gerenciadora das obras do VLT. 

Contratado pela então Secretaria Extraordinária da Copa (Secopa), o consórcio Planservi-Sindotécnica emitiu 24 relatórios sobre o andamento das obras do modal e que apontaram mais de 600 irregularidades. A maior parte delas, segundo o consórcio, foi ignorada. 

Conforme o controlador geral do Estado, Ciro Rodolpho Gonçalves, o relatório terá a identificação das responsabilidades pelas irregularidades apontadas nos documentos. 

 

 

Camila Ribeiro 
Da Redação

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário