19/05/2015 - Secretaria De Saúde Realiza Caminhada Em Prol Da Luta Antimanicomial

Para marcar o Dia Nacional da Luta Antimanicomial, comemorado no dia, 18 de Maio, a Secretaria Municipal de Saúde de São Félix do Araguaia promoveu na manhã desta segunda-feira, uma caminhada pela mudança na assistência á pessoa com transtorno mental.

Com o apoio das Escolas Estaduais Severiano Neves, Tancredo Neves, Hilda Rocha e a Escola Particular Caminho Feliz, juntamente com equipes e profissionais da saúde a caminhada começou, em frente ao prédio do Banco do Brasil e seguiu para a Avenida Araguaia, em frente ao Prédio da Prefeitura de São Félix do Araguaia.

Essa caminhada foi organizada pela equipe técnica do Centro de Atenção Psicossocial-CAPS com o objetivo de mostrar a população que no passado o portador de sofrimento mental era tratado de forma desumana por ainda não haver uma política de saúde pública voltada para a recuperação do paciente.

História

O Dia Nacional da Luta Antimanicomial foi instituído após profissionais do sistema de saúde mental, que eram contra o tratamento desumano dado aos usuários, organizaram o primeiro manifesto público a favor da extinção dos manicômios. A reivindicação aconteceu durante o II Congresso Nacional de Trabalhadores da Saúde Mental realizado em 1987, na cidade de Bauru interior de São Paulo. Com o passar dos anos, o movimento aumentou sendo instituído o dia 18 de maio como oficial pela luta em todo o país.

Antigamente, o tratamento baseava-se na medicalização e na institucionalização. O movimento da Reforma Sanitária promovido pelos servidores da saúde pública em 1987 veio denunciar a forma desumana no tratamento desses pacientes, que se resumia na mercantilização da doença; esse movimento resultou na criação do Sistema Único de Saúde - SUS, aprovado pela Constituição de 1988, na Reforma Psiquiátrica, e na aprovação da Lei 12.216 que criou os Centros de Atenção Psicossocial - CAPS; uma conquista dos trabalhadores da saúde, fruto dos movimentos sociais. Hoje, os portadores de sofrimento mental recebem um tratamento humanizado, tem seus direitos garantidos e usufruem do convívio familiar. A família é hoje, a melhor terapia na busca do equilíbrio, da estabilização desses pacientes que se resume em atenção, amor e cuidado.

 

 

 

Departamento de Comunicação - PMSFA

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário