19/05/2016 - Após protesto, deputados sugerem que Estado pague RGA em duas parcelas

19/05/2016 - Após protesto, deputados sugerem que Estado pague RGA em duas parcelas

Uma comissão formada por 12 deputados estaduais foi composta durante reunião na tarde de hoje para encontrar uma proposta de resolução para o impasse criado entre servidores públicos estaduais, que querem 100% do RGA, e o governo, que alega não poder pagar nada, ou seja, 0%.  A proposta a ser fechada na quinta-feira tem como objetivo maior evitar uma greve já anunciada para o dia 24 pelas categorias de servidores públicos.

Os parlamentares sugerem que o RGA seja realizado em duas parcelas. Uma no mês de maio na ordem de 7,5%, conforme previsão da Lei Orçamentária, e outra em junho com 3,77% com as respectivas correções inflacionárias dos dois meses.

Participaram da reunião e vão compor a comissão para apresentação da proposta, os deputados Emanuel Pinheiro, Wilson Santos, Max Russi, Zé do Pátio, Janaina Riva, Pery Taborelli, Wagner Ramos, Saturnino Masson, Sebastião Rezende, Eduardo Botelho, José Domingos e Dilmar Dal Bosco.  “Vamos nos debruçar sobre os números e encontrar uma proposta que possa ser boa para as duas partes”, disse Emanuel Pinheiro (PMDB), autor do requerimento que resultou na participação dos servidores em reunião do Colégio de Líderes nesta tarde.

É que depois de receber o governo para ouvir as alegações para o não pagamento, deputados estaduais receberam uma comissão de cerca de 30 representantes dos servidores públicos estaduais, dirigidos pelo Fórum Sindical e que lutam para mudar a decisão do governo Pedro Taques de não pagamento da Revisão Geral Anual (RGA), um direito assegurado pela Constituição. “Já ouvimos o lado do governo e agora estamos com os representantes dos servidores. O objetivo é buscar apoio dos deputados para a causa do servidor e contar com o apoio dos parlamentares para abrir um canal de negociação com o governo”, disse Pinheiro.

Adolfo Grassi, do Fórum Sindical, lembrou que “o RGA é direito e não deveria nem estar em discussão”. Já o servidor Oscarlino Alves disse que os servidores querem um debate sobre os números técnicos do Estado.

Os servidores também se referiram ao fato de o governador estar viajando ao exterior para buscar investimentos. “Como o servidor vai cumprir com o investidor, se o governo não cumpre com o servidor”, questionaram.

As negociações estão num impasse. Ontem, os servidores públicos estaduais estiveram reunidos com o secretário de Estado de Gestão (Seges), Júlio Modesto, que apresentou dados econômicos e financeiros do Estado. Modesto anunciou que o governo apresentará uma proposta ao Fórum Sindical no início do mês de junho. Mas os sindicalistas querem debater agora.

Hoje, cerca de 70% dos sindicatos e associações que representam os servidores públicos estaduais aderiram a uma paralisação geral unificada que ocorre por 24 horas em todo o estado. Parte desses trabalhadores realizou um ato na frente do Parlamento, ao mesmo tempo em que seus representantes eram recebidos pelos deputados no Colégio de Líderes.

 

 

Folha Max

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário