19/10/2012 Deputado endurece o discurso contra governo e exige solução

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado José Riva (PSD), endureceu o discurso contra o governador Silval Barbosa (PMDB) durante sessão plenária desta quinta (18). Ele subiu à tribuna para anunciar que os deputados devem ter uma reunião muito séria com o chefe do Executivo, para exigir a liberação dos repasses atrasados. 

Segundo ele, nesse encontro os parlamentares devem cobrar o pagamento de dívidas com os municípios na área da saúde, débitos com o transporte escolar, com a Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extenção Rural (Empaer) e com o Instituto de Defesa Agropecuária do Estado (Indea). Também vão exigir a liberação das emendas. “Nosso compromisso não é com Silval, é com o Estado”, afirmou Riva.

Durante a sessão, no entanto, o deputado se esqueceu de cobrar as responsabilidades do Estado junto ao setor cultural. Um suposto calote do Governo com a categoria foi alvo de críticas até mesmo em peça de teatro. No espetáculo Almerinda no Segundo Turno, o ator André D’Lucca, que dá vida à personagem, garantiu que a situação está tão crítica, que o Cine Teatro Cuiabá poderá ser fechado. O espaço cultural passou por reforma milionária e foi reinaugurado pelo ex-governador Blairo Maggi (PR), após ter ficado desativado por 12 anos.

 

Saúde

A situação da saúde é considerada tão grave que, nesta quarta (17), a Justiça determinou o bloqueio de R$12,3 milhões da Conta Única para assegurar a transferência para Cuiabá e Várzea Grande, pois os municípios estariam com dificuldades até para comprar remédios. Os problemas financeiros também atingem a saúde dos servidores, pois os médicos, hospitais e clínicas conveniadas interromperam os atendimentos até que Silval sentasse com eles para negociar a dívida.

Diante das polêmicas, o Governo enviou projeto à Assembleia para extinguir o MTSaúde e regulamentar seleção de novo plano para atender os cerca de 50 mil servidores estaduais. Entre as empresas interessadas em prestar serviços estão a Unimed, Sulamérica e Amil. O deputado Dilmar Dal’Bosco (DEM) pediu vista à proposta que deverá voltar a ser apreciada em plenário na semana que vem. “Não podemos atropelar o processo. Na terça (23) votaremos o MT saúde”, garantiu Riva.

 

Glaucia Colognesi para O Repórter do Araguaia

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário