19/11/2012 - Jornalista goiano encontrado morto em praia

 

O jor­na­lista Lucas Car­doso For­tuna, de 28 anos, foi en­con­trado morto, na manhã de ontem, na praia do Cabo de Santo Agos­tinho, em Per­nam­buco. O corpo de Lucas tinha si­nais de vi­o­lência e es­tava en­san­guen­tado, se­gundo in­for­ma­ções do De­par­ta­mento Po­li­cial de Ho­mi­cí­dios de Re­cife (DPH), que in­ves­tiga a morte do goiano. 

Lucas era ár­bitro de vo­leibol e es­tava em Per­nam­buco a tra­balho, pela Fe­de­ração Goiana de Vo­leibol, para ar­bi­trar um cam­pe­o­nato. A úl­tima vez que teria sido visto pelos amigos, que in­for­maram à po­lícia, foi no sá­bado à noite, no hotel onde a de­le­gação es­tava hos­pe­dada. Os amigos não o en­con­traram ontem e então ini­ci­aram as buscas. 

Lucas era pre­si­dente re­gi­onal do Par­tido dos Tra­ba­lha­dores (PT) de Santo Antônio de Goiás; mi­li­tante do Mo­vi­mento Gay em Goi­ânia e um dos fun­da­dores do Grupo Colcha de Re­ta­lhos, que luta pelas causas li­gadas à Les­bicas, Gays, Bis­se­xuais, Tra­vestis e Sim­pa­ti­zantes (LGBTS) da Uni­ver­si­dade Fe­deral de Goiás, onde se formou. Lucas também or­ga­nizou di­versas pa­radas gays em Goi­ânia e lu­tava pela trans­for­mação em lei do pro­jeto que prevê pu­nição à Ho­mo­fobia no Brasil. 

Pro­fes­sores, alunos e ex-alunos di­vul­garam uma nota em que acre­ditam se tratar de crime ho­mo­fó­bico e pedem in­ves­ti­gação apu­rada às au­to­ri­dades per­nam­bu­canas. (JM)

 

Escrito por Diário da Manhã

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário