19/11/2015 - Taques prioriza segurança de fronteira seca em declaração com Estado mais rico da Bolívia

Muito mais do que dinheiro ou atrair investidores, a comitiva de Mato Grosso foi à Bolívia, nesta quarta-feira (18), em busca de segurança para os mais de 700 quilômetros de fronteira seca. É o que ficou cristalino na Declaração Conjunta assinada pelos governadores José Pedro Taques, de Mato Grosso, e Rubéns Costas Aguilera, do Departamento de Santa Cruz, o maior e mais rico da Bolívia.
 
Declaração Conjunta visa o estreitamento das relações de Mato Grosso com o Departamento boliviano. Pelo documento, os dois expressaram a necessidade de trabalhar pela integração, controle de sanidade animal, apoio comercial, intercâmbio de experiência de boas práticas em gestão pública, promoção da cultura e do turismo sustentável.
 
E, de quebra, a Declaração foi assinada na Casa de Governo, após declaração dos dois governadores sobre a necessidade de integração e de trabalho em conjunto. “Para o Estado de Mato Grosso é uma honra, temos uma fronteira seca de mais de 700 quilômetros com a Bolívia e nós precisamos estar mais próximos, mais perto. Assim, podemos desenvolver as nossas potencialidades”, disse Taques em coletiva à imprensa.
 
O governador mato-grossense ressaltou que o Estado está preparado para trabalhar em conjunto com o Departamento de Santa Cruz. Lembrou que Santa Cruz é caminho para que os produtos de Mato Grosso cheguem ao Pacífico mais facilmente, com até 15 dias a menos. Entretanto, destacou que a parceria tem que ir além e chegar nas pessoas.
 
“Não apenas em questões comerciais, mas também entre culturas, para que nós possamos fazer desse corredor, do Centro-Oeste da América do Sul, uma chegada ao Pacífico. Mas, nós não queremos só passar por Santa Cruz, queremos relações firmes, para o povo daqui possa chegar a Mato Grosso, ao Brasil e a cultura daqui possa chegar ao cidadão e que ele possa ser muito bem tratado quando for ao Brasil”, afirmou Taques, sem esconder sua preocupação com o tema.
 
Em entrevistas anteriores à reportagem do Olhar Direto, Taques já tinha manifestado sua apreensão com o quadro dramático vivido, hoje, pela região de fronteira.
 
O governador Rubéns Costas Aguilera destacou a responsabilidade dos dois estados com as questões relacionadas ao meio ambiente. Avalia, que Mato Grosso também tem um enorme potencial cultural para ser explorado pelo povo boliviano. “Não queremos apenas conhecer, mas integrar”, comentou.
 
Costas afirmou ainda que os números de Mato Grosso impressionam e podem mostram a potencialidade de relação comercial com Santa Cruz, principalmente na questão do etanol, arroz, soja e gado. “Mato Grosso e Santa Cruz são fundamentais nesse grande processo de integração da América do Sul”, ressaltou o chefe do Poder Executivo da Bolívia.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Da Redação - Ronaldo Pacheco

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário