19/12/2011 - Viatura da PM em alta velocidade atropela e mata garota

Revoltados populares tentaram linchar os policiais - Os Soldados da Polícia Militar, Taqueu e Alves, correram risco de serem linchados.

A jovem Natália Marina De Carli,22 anos, morreu, nesta madrugada, após ser tropelada por uma viatura da Polícia Militar. Ela estava em frente uma casa noturna quando foi atingida.

 
Segundo relatos de várias testemunhas que presenciaram o ocorrido, a viatura da Polícia Militar estava em alta velocidade. O fato aconteceu em frente a uma casa noturna no centro de Alta Floresta (Mato Grosso) na madrugada desse sábado (17).
 
Segundo relatos de testemunhas que estavam na casa noturna e presenciaram o triste episódio, a viatura da PM seguia em alta velocidade pela Avenida Ariosto da Riva, que ao “pular” um quebra mola perdeu o controle e acabou atingindo a jovem que aguardava à beira da Avenida, para atravessar. 
 
O motorista, o PM Soldado Alves, perdeu o controle e atingiu a jovem que aguardava para atravessar a pista na beira da via. Na viatura também estava outro PM Soldado Taqueu...
 
Segundo relatos de pessoas que estavam no local o soldado ainda teria tentado voltar para o meio da pista, mas acabou rodando com a viatura que atingiu lateralmente a traseira de um veículo Corsa, que entrava no estacionamento.
 
Com o impacto, segundo informações, Natália foi lançada a uma distância de aproximadamente uns 20 metros onde foi parar em baixo de uma camionete que estava na calçada. Populares se juntaram e retiraram o veiculo de cima da jovem, aguardando a chegada dos bombeiros. Os policiais militares também permaneceram feridos dentro da viatura.
 
Natália De Carli foi socorrida pelo Corpo de Bombeiros, mas não resistiu e morreu minutos depois de dar entrada no Pronto socorro do Hospital Albert Sabin. 
 
Ainda no Pronto Socorro do Hospital o PM Tenente Viera, oficial que estava de serviço no momento, repassou informações colhidas junto aos militares, que apesar dos ferimentos, nada grave sofreram. 
 
A informações ainda não confirmadas de que os policiais seguiam para uma ocorrência. Segundo informações e relatos de testemunhas que estavam no local do acidente, a viatura não estaria com a sirene ligada.
 
A PM acionou a POLITEC para que fosse feito o exame de alcoolemia no policial que conduzia a viatura e garantiu a apuração dos fatos. A Polícia Civil deve instaurar inquérito para apurar o acidente.
 
O coronel Mauro Anselmo Morais Ribeiro, comandante Regional 9, disse, esta manhã, em entrevista ao site Só Notícias, que serão adotados os procedimentos comuns de investigação. "É um acidente de trânsito comum. Claro que será investigado para ver como e porque ocorreu", adiantou.
 
De acordo com o major Antônio de Souza, comandante do batalhão altaflorestense, dois policiais estavam na viatura. Um continua hospitalizado, em observação e outro já foi avaliado e liberado. Ambos serão designados para os trabalhos administrativos da Polícia Militar enquanto o inquérito é realizado, além de receberem acompanhamento psicológico. "Foi uma fatalidade, estão todos abalados mas estamos caminhando nos trâmites legais", destacou ao site Só Notícias. Em relação a velocidade da viatura, Souza reforçou que poderá ser afirmado apenas após a conclusão da perícia.
 
Revoltados, amigos de Natália e familiares que estavam no local ou chegaram posteriormente, ameaçavam linchar os policiais militares e proferiam palavrões contra os dois que estavam ainda dentro da viatura a espera de socorro. 
 
A mãe da jovem, desesperada, gritava; “você é louco! Você é louco!”
 
Populares, conhecidos e amigos se aglomeraram ainda em frente ao Pronto Socorro onde Natália e os PMs envolvidos no acidente foram encaminhados. 
 
Com receio de uma possível manifestação da população a Polícia Militar precisou de reforços para evitar uma possível invasão no Pronto Socorro.
 
Policiais militares paisana foram chamados e compareceram para conter os ânimos. No Pronto Socorro um oficial foi disponibilizado pela PM que foi o responsável por repassar informações à família.
 
Tenente Benhur, ainda antes do anúncio oficial da morte da jovem, disse “Nós vamos tomar todas as medidas necessárias. Vocês só não podem achar que a gente está querendo esconder alguma coisa. O policial vai passar pelo teste de alcoolemia e vamos verificar se ele tem habilitação.” 
 
Natália era filha do empresário João Canhos, e deixou uma filha. Natália Marina De Carli Canhos era bastante conhecida no Município de Alta Floresta e com certeza deixa saudades a amigos e familiares.
 
Escrito por Alta Floresta News   

Comentários

Data: 19/12/2011

De: Polícia Militar - MT

Assunto: Criar cursos para policiais de direção defenssivas...

Isso que quem acontecendo na Polícia Militar de Mato Grosso, é fruto que o Comando Geral esta colhendo em tirar os soldo imediato dos Policiais credenciados para dirigir as viatura ou criar cursos de credenciamento ou aperfeçoamento para os novos motorista que ja são habilitados e, haja visto que no interior de Mato Grosso tem muitos policiais que dirigem viatura policial sem possuir habilitação. Depois que liberam para qualquer um sair por ai dirigindo viatura Policial o índice de acidente envolvendo Policiais Militares no interior de Mato Grosso dobrou nos ultimos anos,isso sem falar na capital do Estado (Cuiabá). A turma que formaram no ano de 2009 foram campeão em acidente de transito envolvendo viatua policial no total (21) vinte uma, entre os anos de 2009, 2010 e 2011 e ainda vai aumentar mais como aconteceu ai na cidade de Alta Floresta. Mudança ja em 2012.

Novo comentário