20/01/2014 - CPI vai ouvir sindicato nacional da Telefonia para então começar oitivas

Com a volta dos trabalhos na Assembleia, em 5 de fevereiro, a CPI da Telefonia Móvel deverá se reunir um dia antes com o diretor nacional do Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviços Móvel Celular e Pessoal (SindiTelebrasil), Carlos Duprat, sobre as insatisfações da população com as operadoras. Em seguida, as oitivas deverão ser iniciadas. “Não irei estender o prazo da CPI. Ela não irá acabar em pizza”, garante o presidente da Comissão, deputado estadual Nininho (PR) em referência ao prazo da Comissão que encerra em março deste ano.

 

Para colher depoimentos da população, a CPI realizou, em Mato Grosso, quatro audiências públicas e percorreu 12 municípios. No relatório colhido com os munícipes foram relatados vários problema, entre os mais frenquentes estão o sinal das operadoras e valor da conta incompatível ao que foi firmado. “Em Primavera do Leste, uma cidade pólo, os moradores relatam a instabilidade de sinal, apenas, a 1 km de centro”, pontua.

 

Este problema com telefonia, porém, não é exclusividade de Primavera do Leste. Em Confresa (1.149 km de Cuiabá), os moradores fizeram um baixo assinado contra os serviços prestados pelas operadoras de telefonia celular e lançaram o movimento “Operadora Oi e Rede Cemat: queremos qualidade já”, que também reivindica melhoria na rede de energia. Quanto à insatisfação, a assessoria do republicano, explica que o setor jurídico da CPI já entrou em contato com os moradores da região para ouvi-los.

 

Em junho do ano passado, a Assembleia criou a CPI da Telefonia Móvel, que fez algumas audiências públicas, incluindo em Barra do Garças, em outubro. O trabalho da CPI acontece simultaneamente em 18 estados brasileiros e pretende culminar com um novo marco regulatório da telefonia no país, mas até o momento não há resultado.

 

Irão acompanhar as oitivas da CPI da Telefonia Móvel, representantes da Ordem dos Advogados Brasileiros de Mato Grosso (OAB-MT), da Embratel e Procon. Após este procedimento, o relator da CPI é o deputado Guilherme Maluf (PSDB) terá, após enceramento das oitivas, 30 dias para a conclusão do relatório.

 

Tarso Nunes

 

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário