20/02/2014 - Secretário empresta conta para Eder, vira alvo da PF e rebate investigação

O secretário-adjunto do Tesouro Estadual, Vivaldo Lopes, alegou ter emprestado a conta da empresa da qual é proprietário, a Brisa Consultoria, para que o ex-secretário de Fazenda, Eder Moraes, fizesse um único depósito no valor de R$ 75 mil, em 2010, e acabou virando alvo da quarta fase da Operação Ararath, deflagrada pela Polícia Federal na manhã desta quarta (19).

 

Segundo Lopes, o dinheiro era oriundo de uma empresa patrocinadora do Mixto Esporte Clube, naquele ano comandada pela Associação dos Amantes do Futebol e Amigos do Mixto (Afam), da qual Eder era presidente.

 

“Emprestei a conta em razão de o Mixto não poder receber o valor por causa das contas bloqueadas. O dinheiro seria destinado para o pagamento das despesas do clube, como fornecedores e pagamento de salário dos jogadores. Foi uma situação ocasional, eu trabalhava com ele na Sefaz”, afirmou o secretário.Ele também informou que não estava na empresa no momento em que os agentes federais chegaram e que um funcionário os recepcionou. Em seguida, um advogado da empresa foi acionado para acompanhar o mandado de busca e apreensão.A Polícia Federal recolheu documentos e um notebook de trabalho. “Eles não foram até minha casa, não fui notificado e nem recebi telefonema”.

 

Apesar de não se recordar do nome exato da empresa patrocinadora que doou o dinheiro, o secretário-adjunto afirmou que, à época, um dos empreendimentos que apoiavam o time era de propriedade de Valdir Piran, outro empresário que teve documentos apreendidos pela PF nesta quarta. “Toda documentação que comprova a lisura dessa transação na conta da minha empresa foi entregue à polícia”, garantiu Lopes. 

 

A reportagem do Rdnews tentou entrar em contato com Eder Moraes e Valdir Piran, no entanto, até o fechamento desta matéria, nenhum deles retornou às ligações.

 

Thaisa Pimpão

 

 

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário