20/02/2016 - Novos investigadores e escrivães tomam posse na Polícia Judiciária Civil

20/02/2016 - Novos investigadores e escrivães tomam posse na Polícia Judiciária Civil

Quase 500 novos policiais civis iniciaram na manhã desta sexta-feira (19.02) o fim de um longo processo, desde o concurso público de 2013. Os candidatos aos cargos de investigador de polícia e escrivão, divididos em quatro turmas, estão tomando posse no auditório da Diretoria Geral da Polícia Judiciária Civil, em Cuiabá.

Uma solenidade simples foi realizada pelo delegado geral, Adriano Peralta Moraes, juntamente com os diretores-adjuntos para oficializar o ingresso de 495 novos 
servidores da Polícia Judiciária Civil, que receberam um a um o termo de posse. São 37 escrivães e 458 investigadores que a partir da próxima segunda-feira (22) iniciam da segunda fase do curso de formação técnico-profissional, da Academia da Polícia Judiciária Civil, agora como policiais efetivos.

 

O delegado geral da PJC, Adriano Peralta, destacou o empenho de toda da Coordenadoria de Gestão de Pessoas, que conseguiu com muito esforço realizar no período de 30 dias o trâmite legal para empossamento dos policiais civis. Os policiais foram nomeados pelo governador Pedro Taques, em ato assinado no dia 22 de janeiro e a publicação no Diário Oficial de 25 de janeiro.

 “Os senhores estão assumindo hoje um cargo público dentro de uma Instituição que está em plena expansão, e que desempenha um serviço essencial e indispensável à sociedade de todo Estado de Mato Grosso. As dificuldades são grandes, principalmente nos municípios com menos estruturas e difícil acesso, onde vocês não serão mais cidadãos comuns, sim os representantes da Polícia Judiciária Civil, cumpridores das leis”, destacou Peralta.

Adriano Peralta pontuou que a Polícia Civil trabalha com a “casa” de porta sempre aberta, 24 horas por dia, de segunda a domingo. O delegado geral disse aos novos integrantes, que ser policial é estar preparado para ser convocado a todo o momento, e muitas vezes não tem feriado. “O serviço na delegacia tem hora para iniciar e não tem hora para terminar”, lembrou.

“Nossa grata missão é servir a sociedade, com sacrifício desempenho e dedicação, e até com a própria vida se preciso for. Mas depois vem à gratificação de ver o seu trabalho cumprido e o cidadão de bem protegido. Sejam bem-vindos. Os senhores engrandecem nossa instituição”, concluiu Adriano Peralta.

Em seguida, o deputado estadual Wancley Carvalho, parabenizou a chegada dos novos os policiais civis e a perseverança de todos para que fossem nomeados. ”Quero pedir para que vocês usem essa mesma energia de conquistar os objetivos, para lutarem pela Instituição. Sou investigador e sempre trabalhei no interior, na região de fronteira, e com afinco”, disse o deputado Wancley.

 
O diretor da Academia de Polícia, Marcos Aurélio Veloso e Silva, falou sobre o interesse e esforço da turma para chegar a esse momento. O diretor contou também que alguns dos novos policiais estão colaborando desde o inicio da semana, na montagem no stand de tiros da Acadepol.

“A unidade de ensino da Polícia Civil espera todos a partir desta segunda-feira, 22  fevereiro. Sejam bem-vindos”, afirmou Veloso.

Para o novo investigador de polícia, Vinicius Alecrim Costa, 32, que foi policial militar por cinco anos, fazer parte do quadro de servidores da Polícia Civil é uma grande realização. “Nessa nova turma são 61 policiais que deixamos a Polícia Militar para ingressar na Polícia Judiciária Civil, primeiro por gostar do trabalho policial e segundo pela progressão de carreira”, disse o novo policial civil.

Já o outro candidato para o polo de Alta Floresta, Wender Mauro Professor Leite, formado em gestão pública e que atuava antes como motorista e garçom, estudar sempre foi um foco. Para o concurso da Polícia Civil se esforçou um pouco mais a fim de garantir o ingresso na instituição. “Servi o Exército Brasileiro durante sete anos e sempre procurei uma estabilidade financeira. Vou para o interior com minha família e me esforçar para ser um grande investigador de polícia”, declarou Wender.

A nova escrivã de polícia, Rosa Maria de Jesus Batista, 28, formada em geografia, trabalhava como professora concursada na Secretaria de Educação do Estado (Seduc). Ela contou estar animada para atuar na Segurança Pública. “Será uma experiência nova e estou preparada para o muito serviço”, afirmou.

Agenda
Na próxima segunda-feira, 22 de fevereiro, todos os policiais devem comparecer na Academia de Polícia Civil. Às 08 horas iniciam os procedimentos de funcionamento da academia. Durante toda a semana, até a sexta-feira (25.02), os policiais terão os trabalhos voltados para trâmites administrativos. No dia 29, segunda-feira, ocorrerá a aula inaugural com a presença do secretário de Segurança Pública, Fábio Galindo. A aula está marcada para final da tarde, na Acadepol.

O término da Academia de Polícia está previsto para 20 de junho.
 

 

 

 

Assessoria PJC

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário