20/03/2013 - Autor de homicídio se apresenta à polícia, mas volta para casa sem ser preso

O acusado de homicídio, José Sebastião Souza Costa, 25 anos, se apresentou segunda-feira (18) na delegacia de Aragarças-GO, divisa com Mato Grosso, onde prestou depoimento e depois foi embora para casa. O fato dele não ficar preso causou revolta na família da vítima, João Batista Francisco dos Santos, 37 anos, morto com sete facadas. 

A esposa de João Batista afirmou não concordar com o fato de José Sebastião aguardar em liberdade o julgamento. Ela conta que o esposo estava na porta de sua própria casa no dia 9 de dezembro de 2012, quando o agressor passou discutindo com mais duas pessoas e marido decidiu falar com ele. 

João Batista chamou José Sebastião para sair da briga e entrar para casa dele. Na sequencia houve um desentendimento e José Sebastião deu um murro que causou desmaio na vítima, segundo Vera Lúcia. “Ai ele pegou um faca e deu sete facadas no meu esposo e eu tentei pará-lo com um rodo, mas ele me empurrou”, relembra. 

A mãe de João Batista, a dona de casa Maria Celina dos Santos, disse que ainda aguarda Justiça para ver preso o autor da morte de seu filho. “Eu achei que já havia mandado de prisão. Ele veio aqui contar outra história e ir embora é muito doloroso prá gente que é da família”, frisou. 

José Sebastião na versão dele, alega que agiu em legítima defesa, pois teria sido agredido por João Batista. A delegada Azuen Albarello explica que a investigação estava parada porque uma pessoa da família de João Batista chegou a dizer que tinha dúvida sobre autoria do crime e que poderia se outra pessoa que inclusive mora em Araguaiana e por esse motivo a Polícia Civil não teve como pedir a prisão de José Sebastião. 

AINDA SEM PUNIÇÃO 

Um caso semelhante ocorreu em Bom Jardim, a 32 km de Aragarças. A família de Leandro Pereira da Silva, 24 anos, morto com três facadas, conta que o autor do crime está solto.

A deficiente visual Darlene de Fátima, conhecida como Baúna, conta que Leandro era seu ex-genro e tinha acabado de terminar o relacionamento com a filha dela e foi morto por um rapaz conhecido como ‘Sula’ em Bom Jardim que estaria suspeitando de um envolvimento amoroso de ex-mulher com Leandro. 

“Esse envolvimento não existia. O Leandro estava separando da minha filha e o Sula já estava separado e até hoje ele não foi preso”, reclama Baúna. Leandro era mecânico de bombas injetoras em Bom Jardim. “Nós gostaríamos de ver esse caso esclarecido sobre autoria e principalmente que o Sula fosse julgado pelo que fez”, finalizou Baúna.

 

De Barra do Garças - Ronaldo Couto

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário