20/04/2011 09h:37 Possibilidade de “maracutaia” na Paixão de Cristo leva TCE à unanimidade contra pregão

Proposta pelo conselheiro Antônio Joaquim, a Medida Cautelar pedindo a suspensão do pregão foi aprovada por unanimidade pelo Pleno do TCE. Apesar disso, a encenação do Auto da Paixão de Cristo foi realizado no parque de exposições da Acrimat, em Cuiabá, com a participação do modelo e ator Paulo Zulu. O evento estava orçado em R$ 3,2 milhões, dinheiro que daria para construir 2 policlínicas e  16 unidades do Programa de Saúde da Família (PSFs).

ara o autor da medida, conselheiro Antônio Joaquim, é inaceitável a falta de planejamento da Setecs, que já vem promovendo o evento há 8 anos e ainda conseguiu deixar para a última hora a realização do pregão.

O detalhe é que todo o cenário já estava erguido, mas o pregão só seria realizado uma semana antes do início do evento (14 a 17 de abril). “Não se justificam erros grosseiros e com evidências de irregularidades”, declarou o conselheiro, ressaltando que essa desorganização fatalmente traria prejuízos ao erário público.
 

O Ministério Público do Estado (MPE) entende, por sua vez, que mesmo com a suspenção do pregão eletrônico para contratação de empresa especializada na realização do Auto da Paixão de Cristo, e que ocorreria no dia 07 de abril, o evento promovido pela Secretaria de Trabalho, Emprego e Assistência Social  (Setecs) deve ser fiscalizado.

 

Blog: Sandra Carvalho