20/04/2013 - PEC-215 e CPI DA FUNAI DEVEM MARCAR SUA EXTINÇÃO

A política indigenista da FUNAI se tornou um idiotismo nacional tendo ainda, o agravante da subversão. Tanto que a proposta de Emenda Constitucional, PEC-215 de autoria do deputado Almir Sá do PPB-RR, apresentada em 2000, após doze longos anos de tramitação sofrível e cheia de boicotes por parte de alguns parlamentares  e ONGs,  parece caminhar mais rápida devido o acirramento dos conflitos na guerra do indigenato. Considerando a relevância social e visando resguardar alguns aspectos da segurança e soberania territorial do País em relação aos processos demarcatórios de terras indígenas, a PEC-215, subtrai da FUNAI, a autonomia absoluta do órgão em tais procedimentos. O Congresso Nacional passara a ter competências na aprovação de demarcações e criação de novos territórios indígenas e quilombolas inclusive, na ratificação de áreas já homologadas. Os natizistas*, ongueiros e todos que sobrevivem da antropologia vampirista sugando das populações nativas o sangue, os seus saberes e os reais direitos que possuem de se tornarem gente, cidadãos brasileiros conscientes e verdadeiramente donos e participantes das riquezas minerais, da flora e fauna existentes no território nacional estão de orelha em pé e nem dormem diante da eminente possibilidade de aprovação da PEC-215.

 

        Os pareceres e requerimentos últimos datados de novembro e dezembro de 2012, feitos pelos deputados; Valtenir Pereira (PSB-MT), João Campos (PSDB-GO) e Luiz Heinze (PP-RS), solicitando a colocação da PEC-215, na ordem do dia e na pauta de votação do Congresso desponta uma esperança de que esta perto do fim a bagunça governamental e internacional em cima das comunidades nativas do Brasil. Vamos mais alem em dizer que a FUNAI, esta com os seus dias contados. Um órgão acéfalo e completamente inútil ao índio, a Fundação se tornou tão corrupta e corporativista que há muito, deixou de cumprir suas funções e responsabilidade com as populações indígenas se atendo aos desenfreados processos de criação e expansão dos territórios indígenas. As ações inconseqüentes das FUNAI se tornaram intoleráveis a ponto da Câmara dos Deputados, receber recentemente (13/03/2013), da parte dos deputados; Nilson Leitão (PSDB-MT), Jerônimo Goergen (PP-RS), Luiz Heinze (PP-RS), Alceu Moreira (PMDB-RS E Waldir Colatto (PMDB-SC), o pedido de instalação de uma Comissão Parlamentar de Investigação, CPI, sobre esta Fundação e sua relação promíscua com o INCRA e organismos internacionais. A extinção da FUNAI será um fato natural após a aprovação da PEC-215. Uma Secretaria Especial de Assuntos Indígenas, subordinada aos Ministérios da Justiça e de Integração Nacional poderá substituí-la com muito mais eficácia, findando com o descontrole funcional e as conexões suspeitas dessa Fundação em especial, com as ONGs estrangeiras.

 

         O momento urge que a sociedade brasileira se une em torno da votação e aprovação da PEC-215. Todos os seguimentos sociais do campo e das cidades devem participar do debate e conhecer em maiores detalhes a política indigenista por hora imposta ao País a qual, vem provocando um perigoso desgaste nas relações e na convivência entre as populações indígenas e os não índios. A CPI da FUNAI vai revelar ao conhecimento público os escândalos, a podridão desse órgão e o desserviço que tem prestado ao País e aos indígenas.  A segregação dos nativos em redomas impenetráveis formando guetos étnicos isolados e sem direito a evolução intelectual e cientifica constitui um crime racial imperdoável. O índio não deve ser colocado como objeto de estudo permanente, sendo visto apenas como espécie humana do elo primitivista e condenado a viver tal como bicho do mato contextualizado como “povos da floresta.” Essa classificação antropológica defendida pela FUNAI e pelos doutores da Associação Brasileira de Antropologia, ABA, é uma autentica violação dos direitos humanos e esconde uma perigosa subversão contra a nação brasileira. Separá-lo culturalmente e territorialmente da sociedade nacional e prepará-lo para uma vida própria e independente é a tônica das ONGs internacionais que sonham em dividir o Brasil criando vários Estados indígenas. A comprovação desse plano macabro esta na Declaração Universal dos Direitos dos Povos Indígenas, um documento fabricado na ONU e assinado pelo ex-presidente Lula, que em seus dois mandatos consecutivos se preocupou unicamente em conquistar para o Brasil a sede da copa de 2014 e as olimpíadas de 2016. Certamente, a CPI da FUNAI, vai dizer muito mais sobre o assunto.

 

*NATIZISTAS, termo homônimo em referencia ao nazismo hitleriano para definir os indigenistas que segregam e isolam os nativos, tirando-lhes o direito natural de participarem da sociedade nacional e da escala evolutiva da humanidade.

 

Kalixto Guimarães/ Correspondente do Araguaia

Comentários

Data: 22/04/2013

De: Ildo Fiorim

Assunto: FRAUDE

ESSE É O DESESPERO DOS ONGUEIROS, DAS CHEFIAS DA FUNAI, DOS RELIGIOSOS SUGADORES... A CPI VAI DESBARATAR ESSA QUADRILHA E DENOTAR "NOMES FAMOSOS" QUE CONTRIBUIRAM COM A FRAUDE DO DESLOCAMENTO DA ÁREA NA REGIÃO DO POSTO DA MATA!!! CABEÇAS VÃO ROALAR!!! ESSA FARSA TEM QUE ACABAR UM DIA E OS $$$ QUE FORAM DESVIADOS DEVOLVIDOS AOS COFRES PÚBLICOS... ESPERAMOS VER "COLARINHOS E BATINAS" ATRÁS DAS GRADES!!!!

Novo comentário