20/05/2011 - 08h:00 Servidores envolvidos em fraudes serão investigados pela prefeitura

Os servidores de Barra do Bugres presos na Operação Saúde da Polícia Federal serão investigados pela administração municipal e foram suspensos por 30 dias, podendo ser prorrogado ou revogado caso seja necessário. A informação foi dada pelo prefeito Wilson Francelino de Oliveira, em entrevista coletiva na manhã desta quinta-feira (19).

Os servidores afastados são: Germano Modesto Cagnoni, Iandro Rodrigo Monteiro Almicci, José Wilson Pereira Lage e Rodrigo Salmazo Martins. A decisão foi tomada após a operação deflagrada pela Polícia Federal, que apontou o envolvimento dos funcionários na prática de fraude à licitação, irregularidade na compra e faturamento de medicamentos.

O prefeito designou os servidores efetivos Andrea Fracalossi Lopes (presidente), George Augusto Seconello (vice-presidente) e Antonio Carlos Rufino de Souza (secretário) para comporem uma Comissão Investigativa devendo ser concluída em 30 dias, prorrogáveis por mais 30 dias, se necessário.

Além de Barra do Bugres, a Operação Saúde também foi realizada em mais 12 municípios de Mato Grosso. Dentre eles, Rondonópolis, onde a servidora Fabiana Gouvêa foi presa, e Barra do Garças, em que a funcionária da Secretaria de Estado de Saúde Débora Moraes foi detida também, por supostas irregularidades cometidas no município de Pontal do Araguaia, local em que estava trabalhando.

Segundo informações da PF, as investigações foram concentradas na fraude a licitações, corrupção ativa e passiva, peculato e formação de quadrilha. As organizações criminosas investigadas atuavam no desvio de verbas públicas federais destinadas pelo Governo Federal à compra de medicamentos por prefeituras municipais para distribuição entre as populações carentes

 

Da Redação - Alline Marques

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário