20/05/2011 11h:51 Walter Salles vai fazer um filme sobre a vida de Dom Pedro Casaldáliga

O consagrado diretor brasileiro Walter Salles, que trabalhou em filmes como “Central do Brasil” e “Diários de Motocicleta”, um concorrente e outro vencedor de Oscar, se dedica agora a fazer uma adaptação do livro “Descalço sobre a terra vermelha”, que conta a trajetória de vida de Dom Pedro Calsaldáliga, o Bispo do Araguaia.

Em recente entrevista exclusiva ao Agência da Notícia, Dom Pedro disse que inicialmente foi contra o projeto, mas que depois de conversar com a equipe e acontecerem algumas mudanças de roteiro, onde ele deixou de ser  protagonista, para destacar mais os conflitos que aconteciam na região, entrou em acordo e começaram o projeto.

O filme que deve receber o nome “Terra Vermelha” deve ficar pronto no final de 2012 ou no início do ano seguinte, não há uma definição para estreia.

Dom Pedro Casaldáliga (Balsareny, 16 de fevereiro de 1928) é um bispo católico nascido na Espanha e radicado no Brasil.

Ingressou na Congregação Claretiana em 1943, sendo ordenado sacerdote em Montjuïc, Barcelona, no dia 31 de maio de 1952. Em 1968, mudou-se para a Amazônia Brasileira.

Foi nomeado administrador apostólico da prelazia de São Félix do Araguaia no dia 27 de abril de 1970. O Papa Paulo VI o nomeou bispo prelado de São Félix do Araguaia (Mato Grosso), no dia 27 de agosto de 1971. Sua ordenação episcopal deu-se a 23 de outubro de 1971, pelas mãos de Dom Fernando Gomes dos Santos, Arcebispo de Goiânia e de Dom Tomás Balduíno, OP e Dom Juvenal Roriz, CSSR. Foi bispo da sé titular de Altava até 1975.

Adepto da teologia da libertação, adotou como lema para sua atividade pastoral: Nada possuir, nada carregar, nada pedir, nada calar e, sobretudo, nada matar. É poeta, autor de várias obras.

Dom Pedro já foi alvo de inúmeras ameaças de morte. A mais grave, em 12 de outubro de 1976, ocorreu no povoado de Ribeirão Bonito (Mato Grosso). Ao ser informado que duas mulheres estavam sendo torturadas na delegacia local, dirigiu-se até lá acompanhado do padre jesuíta João Bosco Penido Burnier. Após forte discussão com os policiais, o padre Burnier ameaçou denunciá-los às autoridades, sendo então agredido e, em seguida, alvejado com um tiro na nuca. Após a missa de sétimo dia, a população seguiu em procissão até a porta da delegacia, libertando os presos e destruindo o prédio. Naquele lugar foi erguida uma igreja.

Por cinco vezes, durante a ditadura militar, foi alvo de processos de expulsão do Brasil, tendo saído em sua defesa o arcebispo de São Paulo, Dom Paulo Evaristo Arns.

No ano 2000, foi agraciado com o título de Doutor Honoris Causa pela Universidade Estadual de Campinas.

Apresentou sua renúncia à Prelazia, em conformidade ao Can. 401 §1 do Código de Direito Canônico, em 2005. No dia 2 de fevereiro de 2005 o Papa João Paulo II aceitou sua renúncia ao governo pastoral de São Félix.


Fonte: Leandro Trindade

 

Comentários

Data: 23/06/2012

De: Sandro Henrique Baroni

Assunto: filme do bispo

Um grande homem,Dom Pedro Casaldaliga!um homem do qual o araguaia devia se orgulhar! eu posso dizer que Dom Pedro Casaldaliga vai ser um personagem na historia da minha vida,(minhas causas valem mais que a minha vida)viva Dom Pedro Casaldaliga!!me orgulho em conhece-lo!!!

Novo comentário