20/07/2016 - Guarani-Kaiowá: o grito de socorro na Romaria dos Mártires em Ribeirão Cascalheira

20/07/2016 - Guarani-Kaiowá: o grito de socorro na Romaria dos Mártires em Ribeirão Cascalheira

Os quase cinco mil romeiros, participantes das celebrações da vida e da esperança – Profetas do Reino – ouviram estarrecidos e indignados a denúncia da bárbara situação de violência contra os Guarani-Kaiowá do Mato Grosso do Sul. Representantes desse povo, participantes da Romaria, narraram o rosário de violências que estão passando na incansável luta por seus direitos, por suas terras tradicionais (tekoha).

Em tom dramático, mostraram as marcas da violência. Pedro mostrou onde penetrou a bala que se encontra alojada perto de seu coração. Leila, de Yvy Katu, na fronteira com o Paraguai, expressou a dramaticidade da luta que enfrentam na reconquista de seus territórios. Clamou por socorro, por solidariedade.

Na roda de conversa sobre a defesa do cerrado, contra o uso dos agrotóxicos e transgênicos na produção de alimentos, foi aprovada uma nota de repúdio e moção de solidariedade ao povo Guarani-Kaiowá do Mato Grosso do Sul (veja íntegra da nota/moção). Foi feito um minuto de silêncio em homenagem aos que tombaram, aos que se tornaram sementes do futuro.

A doce rebeldia e a sagrada teimosia

 Foto: Laila Menezes - Cimi


Momento de memória, amor e compromisso. A noite foi chegando na dança dos estandartes dos mártires presentes, ao clarão da lua e o tom suave do “luar do sertão”. Melodia conectando os corações no fogo da memória perigosa dos mártires da caminhada. Chega Pedro, chega Maria, chega a multidão de lutadores e guerreiros na suave brisa da utopia.

Com os corações incendiados pelos desmandos, corrupção e opressão, foram inevitáveis os gritos incontidos de “Fora Temer”. Em sintonia profunda com os profetas e profetizas, a multidão marchou ao som de hinos de libertação e esperança, transformação, luta, fé e união.

Muito canto, muita esperança na esquina de cada abraço, de emocionados reencontros, de históricos e novos lutadores. Nas pegadas de João Bosco e Pedro, os passos da vida e dos profetas, a esperança dá o compasso da semente lançada ao chão, do “Fica Pedro” no coração grande e se expande ao infinito do novo dia de luta.

6ª Romaria dos Mártires da Caminhada, Prelazia de São Felix do Araguaia, Ribeirão Cascalheira, Mato Grosso, 19 de julho de 2016.


 Foto: Laila Menezes - Cimi


NOTA DE REPÚDIO E MOÇÃO DE SOLIDARIEDADE

Os participantes da 6ª Romaria dos Mártires, vindos de todas as regiões do Brasil e de três continentes, a Ribeirão Cascalheira, MT, queremos denunciar o genocídio contra os índios Guarani-Kaiowá no estado do Mato Grosso do Sul, proporcionado pelos jagunços do agronegócio, acobertados pelas autoridades estaduais e federais.

O mais grave é que isso acontece na total impunidade estimulando uma verdadeira guerra contra esse povo.


Exigimos a punição dos responsáveis por esse extermínio e a demarcação imediata de suas terras.

Ribeirão Cascalheira, 17 de julho de 2016.

 

 

 

 

Egon Heck - Cimi

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário