20/07/2016 - Servidores do Indea e Intermat podem retomar greve em Mato Grosso

Os servidores do Indea (Instituto de Defesa Agropecuária) e do Intermat (Instituto de Terras de Mato Grosso) podem entrar em greve, novamente, a partir de quarta-feira (20).

 

A decisão deve ser tomada em uma assembleia-geral, programada para acontecer na sede do sindicato que reúne os servidores dos dois órgãos, em Cuiabá.

 

De acordo com a presidente do Sintap (SindicatG dos Trabalhadores do Sistema Agrícola, Agrário, Pecuário e Floresta), Diany Dias, o motivo é que o Governo não cumpriu nenhuma das reivindicações da categoria.

 

Os servidores também vão discutir o não pagamento da Revisão Geral Anual (RGA), de 11,28%.

 

Uma lei aprovada na Assembleia estabeleceu o pagamento da reposição inflacionária em 7,36%, divididos em três parcelas – 2% no mês de setembro deste ano e 2,68% nos meses de janeiro e abril de 2017.

 

Como se trata de juros sobre juros, o aumento será de 7,54%.

 

“Nós vamos discutir novamente a RGA, porque nós não aceitamos a proposta que foi votada. Isso nos foi imposto goela a baixo, e tem que ser discutido se vamos entrar com um Adin [Ação Direta de Inconstitucionalidade]”, disse a sindicalista.

 

Outra demanda que será discutida em assembleia é a permanência do presidente do Indea, Guilherme Nolasco, no cargo. Ele estaria causando atrito no quadro de servidores.

 

Segundo Dianny Dias, o presidente do Indea foi o único a acatar o corte de ponto imposto pelo Governo, enquanto os servidores públicos ainda estavam em greve.

 

Em sua defesa, ele indicou que o fez em atendimento à determinação da Secretaria de Gestão (Seges) e da Procuradoria Geral do Estado (PGE).

 

Também será discutido o retorno das atividades do setor de Identificação da Madeira; a precária estrutura do Indea; e a falta de pagamento das diárias dos servidores.

 

Dias ainda afirmou que o Governo já foi notificado a respeito de todas as demandas que estarão em pauta na assembleia, assim como os representantes dos órgãos nos 141 municípios.

 

A categoria havia entrado em greve desde o dia 6 de junho, com outros sindicatos, e retornou ao trabalho no dia 1º de julho.

 

 

 

Midia News
Jad Laranjeira

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário