20/08/2013 - Ruas com mais de trinta anos são recapeadas em Barra do Garças

A prefeitura de Barra do Garças começou pelo bairro Santo Antônio o trabalho de recapeamento de noventa ruas do município utilizando a tecnologia de asfalto quente que oferece uma durabilidade maior para o serviço.

 

As primeiras ruas a receberem a nova capa asfáltica são: Dom Aquino, Castelo Branco, 8 Alto Araguaia e 15 de Setembro nas imediações da Escola Irmã Diva Pimentel. A emulsão asfáltica é usinado a temperatura de 80 graus e quando depositado ao solo chega a 150 graus e depois é passado o rolo de compactação deixando a espessura do asfalto com cinco centímetros.

 

“Esse recape começa por aqui pelo Santo Antônio e nós queremos estende-lo para os demais bairros da cidade”, frisou o prefeito de Barra do Garças, Roberto Farias (PSD), que lançou o serviço de recuperação das ruas, semana passada, acompanhado de vereadores e secretários.

 

O encarregado da obra pela Macro Engenharia, Deli, disse que a espessura do asfalto em Barra supera outras cidades da região. “Tem cidade com dois ou três centímetros. E aqui o acabamento é com mais de cinco centímetros”, explicou Deli.

 

O morador da esquina do colégio Irmã Diva Pimentel, José Antônio, informou que a rua dele (15 de Setembro) foi asfaltada há 28 anos e nunca tinha sido recapeada.  “Nós temos que agradecer ao prefeito Beto porque está ficando excelente esse serviço e o nosso setor precisava”, frisou. A dona Helena da Silva, outra entusiasmada pelo trabalho, agradeceu ao chefe do executivo. “Eu votei no Beto e estou empolgada pela vontade dele em trabalhar pela nossa cidade”, completou.

 

O comerciante da Mercearia Tem Sim, Adalto Dantas, está duplamente feliz porque as duas ruas na porta do estabelecimento dele foram recapeadas. “Eu moro há mais de 30 anos aqui e essas ruas nunca tinha sido recapeadas. Esse serviço valoriza o nosso bairro não resta dúvida disso”, finalizou.

 

Após o bairro Santo Antônio, o serviço de recapeamento seguirá o setor das Águas Quentes e depois para o Jardim Amazônia, o BNH.

 

Escrito por: Vander Lima/Secom-BG