20/08/2015 - Homem é preso com 656 cartões de banco e do Bolsa Família, diz polícia

Um aposentado de 55 anos foi preso nesta quarta-feira (19) com uma grande quantidade de cartões do Bolsa Família, cartões de banco, títulos eleitorais, folhas de cheque e extratos bancários, em  Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá.

De acordo com a Polícia Militar, Virgínio Paes de Campos foi preso por suspeita de estelionato e agiotagem. Com ele, a PM apreendeu 656 cartões de banco e 91 carteiras de trabalho registrados no nome de diversas pessoas.

Ao G1, Virgínio disse que apenas emprestava dinheiro para as pessoas e negou que ficava com o dinheiro das vítimas. O suspeito contou que estava nesse ‘serviço’ há 10 anos e nunca teve nenhum problema ou chegou a ser preso.

Segundo a polícia, Virgínio foi flagrado dentro de uma agência da Caixa Econômica Federal, localizada na Avenida Couto Magalhães. Algumas pessoas viram o suspeito fazendo diversos saques de dinheiro usando 15 cartões e decidiram chamar a polícia.

A grande quantidade de documentos e cartões foi encontrada na casa dele, no Bairro Nova Várzea Grande. No local também foi encontrado um revólver calibre 38 e uma espingarda calibre 22.

“Encontramos nos cômodos da residência vários cartões do Bolsa Família e também do Cartão Cidadão. Estamos com a suspeita de estelionato pela questão da quantidade de cartões e cheques em nome de outras pessoas que ele não afirma a procedência, além do crime de porte ilegal de arma de fogo por não ter registro dessas armas”, explicou o aspirante da PM, Marcelo Freitas.

Para a PM o suspeito explicou que ‘levantava’ dinheiro e negou que praticava agiotagem. Virgínio disse à polícia que as pessoas o procuravam para fazer empréstimos e deixavam os cartões como forma de garantia do pagamento das dívidas. Todos os cartões estavam com as senhas anotadas em papéis colados no verso de cada cartão. Uma quantia de R$ 3 mil também foi encontrada.

 

Se a pessoa estava com dificuldade, como conta atrasada ou doente, falava comigo. Eu calculava e emprestava, passava o dinheiro para eles. Mas a porcentagem era minha, eu cobrava 10%. Eu nunca fui atrás de ninguém, eles que me procuravam. Não é crime, não agredi ninguém, não mandei ninguém me passar senha”, disse o suspeito ao G1.

Sobre as duas armas encontradas, o aposentado disse que apenas as tinha como segurança por medo de assaltos. Porém, ele não tinha registro de nenhuma delas. De acordo com a PM, o suspeito será encaminhado para a Polícia Federal de Cuiabá.

 

 

G1

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário