20/09/2013 - Araguaia é Destaque no Jornal O Estadão de SP como a nova Fronteira do Agronegócio

O Jornal o Estadão de SP publicou no último domingo (15) uma reportagem classificando a região como A nova fronteira do Agronegócio.

 

O jornalista Mauro Zanatta visitou varias cidades da região e conversou com moradores. Na reportagem escrita por ele, são apontados o crescimento da região que é acima da média nacional e os problemas das estradas, falta de mão de obra e o constante crescimento de plantios de soja.

 

Zanatta também escreveu em sua reportagem que a classificação de “Vale dos Esquecidos”, não cabe mais a região que vive um boom econômico, isso se deve especialmente pelas imensas áreas de pastos degradados prontos para serem transformados em área de lavoura, isso sem derrubar uma árvore se quer.

 

A reportagem publicada pelo Jornal O Estadão, comprova a importância da região do Araguaia composta por 25 municípios, para o crescimento do PIB- Produto Interno Bruto – no 2º Semestre deste ano.

 

Outro ponto importante ressaltado na matéria é a utilização do método Integração Lavoura/Pecuária. “A região acelera em ritmo empresarial na soja e no milho sem expulsar as centenas de milhares de cabeças de gado. Ao contrário, passou a adotar a integração lavoura-pecuária para ocupar o solo todo o ano e \"colher\" a \"terceira safra\" de proteína animal - 2,3 milhões de hectares de pastos devem virar áreas de grãos. Há bolsões com problemas ambientais, fundiários e disputa por terras com índios do Xingu”, diz trecho da reportagem.

 

Confresa se consolida como o Poló do desenvolvimento da região Norte Araguaia, e foi classificada pelo Repórter do Estadão como principal polo regional no eixo norte da inacabada rodovia. “Em Confresa, principal polo regional no eixo norte da inacabada rodovia, por exemplo, o Banco do Brasil elevou em 2.000% seus negócios rurais nos últimos cinco anos. Na vizinha Porto Alegre do Norte, onde há vários gigantes do agronegócio, foram 2.500% adicionais. Em alguns anos, Querência deve alcançar o município \"campeão mundial\", Sorriso, encostando em 500 mil hectares de área plantada com soja”, contou Zanatta.

 

Confresa inclusive deu um salto em 4 anos no plantio de lavoura, passando de 4 para 70 mil hectares cultivados, com capacidade para 260 mil hectares.

Os preços da terra e de terrenos duplicaram em três ou quatro anos. Na área rural, um hectare em produção custa R$ 40 mil a R$ 50 mil. No início dos anos 2000, valia menos de US$ 200. E há quem peça R$ 80 mil à vista.

 

São as faces do crescimento e do desenvolvimento da região Norte Araguaia que é considerada a última Fronteira Agrícola do País, mas que ainda sofre com a falta da conclusão do asfalto da BR-158, falta de armazéns, serviços de má qualidade na energia elétrica e na comunicação, como telefones e internet.

 

O Jornalista classifica que o apagão de mão de obra talvez seja o principal entrave fora da infraestrutura. Todos reclamam. Indústria, comércio, serviços e, claro, também o agronegócio. O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) intensificou a formação e treinamento, chegando a 20,5 mil capacitados desde 2010 em 126 cursos. \"Sem treinar, o investimento em máquinas modernas, por exemplo, pode ser neutralizado. Sem saber operar, não tira o máximo proveito\", diz o presidente do sistema Famato/Senar, Rui Prado.

 

Fonte: Agencia da Noticia

 

Comentários

Data: 10/10/2013

De: welikis gomes

Assunto: região norte araguaia

eu acredito nessa região norte Araguaia, muito potencial no agronegócio brasileiro!!!

Data: 21/09/2013

De: Fábio Boeck

Assunto: vale dos esquecidos!!!

Mais e aí kd as infra-estruturas, pode ser a úlltima fronteira agrícola mesmo, mais não temos nem estradas imagina só, esses dias (segunda para terça), fui até Água Boa de ônibus, e aí em um trecho da estrada (MT de Alto Boa Vista/Serra Nova Dourada) o motorista parou e pediu para nós passageiros descer por que ele ia passar em uma pinguela, é mole, kd o dim dim dos impostos que a gente paga, e ainda vem falar em fronteira agrícola...

Novo comentário