20/09/2014 - Funcionários dos Correios entram em greve em Mato Grosso e outros seis Estados

Os funcionários dos Correios entraram em greve nesta quinta-feira (18) em sete Estados, incluindo Mato Grosso. Os trabalhadores estão reivindicando um aumento salarial real de 8%. A empresa oferece atualmente uma gratificação de R$ 300 para as menores faixas salariais e aumento de 6,5% para os rendimentos maiores que R$ 3.077, o que faz frente à inflação acumulada em 12 meses (6,51% em julho, segundo o IBGE).

Em Mato Grosso são 1693 funcionários que prestam serviços aos Correios. Porém, ainda não foi informado quantos aderiram a greve. A reportagem tentou entrar em contato com a assessoria de imprensa regional da empresa para obter mais informações, porém, a pessoa responsável alegou que estava sem internet e não teria informações.

A greve acontece nos seguintes Estados: Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Mato Grosso, Sergipe, Tocantins e Roraima. Porém, foi confirmado que “os Correios estão operando com normalidade em todo o Brasil. Toda a rede de atendimento dos Correios está aberta e todos os serviços, inclusive a entrega de Sedex e o Banco Postal, estão disponíveis”.

Um levantamento dos Correios apontou que “que 97% do efetivo dos Correios está presente e trabalhando — o que corresponde a 122.037 empregados, número apurado por meio de sistema eletrônico de presença. Nesses locais, o movimento está concentrado na área de distribuição — do total de 19.407 carteiros que deveriam trabalhar hoje nos 7 Estados, 2.970 não compareceram (21,72%)”.

Se houver algum atraso nas correspondências, os Correios sugerem que negociem com as empresas para evitar pagamento de multas e juros. Se houver necessidade, a empresa deverá promover mutirões para entrega nos fins de semana. Um plano de contingência, que inclui ações como deslocamento de empregados entre as unidades, contratações temporárias e realização de horas extras, está sendo aplicado.

Negociação — Em busca de acordo, os Correios ofereceram aos trabalhadores reajuste de R$ 200 em forma de gratificação, a ser incorporada gradualmente, nos salários de quem recebe de R$ 1.084 a R$ 3.077,00. Para quem recebe acima de R$ 3.077,00, o reajuste é de 6,5% no salário base. O reajuste proposto representa um aumento de cerca de 20% sobre o salário base dos agentes de Correios (carteiros, atendentes e operadores de triagem e transbordo) e abrange 91 mil pessoas (cerca de 90% do efetivo da empresa). A proposta inclui ainda reajuste significativo do vale-cesta, de R$ 158,45, passa para R$ 188,58, e 3 unidades extras de vale alimentação/refeição por mês, com valor de R$ 30,13 cada.

 

 

Olhar Direto
Wesley Santiago

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário