20/09/2016 - Pai e madrasta são presos suspeitos de matar criança

20/09/2016 - Pai e madrasta são presos suspeitos de matar criança

Pai e madrasta de criança de 2 anos acusados de matar menina e abandonar o corpo em um terreno, na cidade de Primavera do Leste (231 km ao sul de Cuiabá) tiveram decretadas as prisões preventivas nesta segunda-feira (19), pelo juiz da 1ª Vara Criminal da Comarca, Alexandre Delicato Pampado.

Lenilson Barbosa de Souza, 25, pai da criança Maria Eduarda Santos de Souza, e Kátia Cristina de Almeida Lopes, 27, madrasta, foram presos em Água Boa (730 km a leste de Cuiabá). Crime teria ocorrido no dia 7 de Setembro e só foi descoberto no sábado (17), depois que a mãe biológica da criança denunciou seu desaparecimento.

De acordo com a Polícia Civil, o corpo da criança foi localizado no domingo (18), em uma caixa de papelão, em um terreno em Primavera do Leste. Corpo passará por necropsia que apontará a causa da morte.

Todavia, a madrasta contou em depoimento que o companheiro deu um tapa na enteada, porque ela sujou o colchão ao defecar. Depois, ela deu remédio para a enteada que sentia dores, e percebeu que ela ficou sonolenta. Mais tarde, por volta das 23h, o casal viu que a criança estava sem sinais vitais, colocaram-na em um saco plástico e deixaram em uma caixa.

Eles saíram da casa e retornaram dois dias depois, quando o corpo já apresentava odor. Ambos teriam pego a caixa com a criança e abandonado em uma mata, no fundo do loteamento onde residem.

A criança estava aos cuidados do pai com a autorização da mãe, uma jovem de 19 anos. A família é de Água Boa, e o homem teria ido trabalhar em uma fazenda em Paranatinga, mas depois ele e a atual companehria seguiram para Primavera.

As investigações apontam que a jovem ao perceber o sumiço da filha, registrou um boletim de ocorrências de desaparecimento. Enquanto isso, o homem alegou que a criança tinha desaparecido durante um assalto, ocorrido em uma feira em Goiânia, para onde seguiu com a companheira depois da morte da filha.

Os 2 prestaram depoimentos para a delegada de Água Boa, Luciana Canaverde, quando apresentaram várias versões. Uma delas seria de que a menina teria caído docaminhão de mudança. Ambos foram autuados por ocultação de cadáver e homicídio qualificado.

A Polícia Civil agora aguarda os laudos de necropsia da vítima, bem como os exames de perícia na residência onde o casal residia e onde possivelmente ocorreu o crime.

 

 

Izabel Barrizon, repórter do GD

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário