21/01/2012 - GUERRA: Jovem escapa de exterminador, mas continua em estado grave

 

Os exterminadores, segundo a própria Polícia, sempre chegam ao local das execuções sumárias em uma moto ou em um carro, na maioria das vezes um Gol branco ou um Celta prata. Na "Guerra Urbana", no ano passado, 80% dos 404 assassinatos na Grande Cuiabá, as vítimas foram executadas a tiros, pauladas, facadas e pedradas. Algumas vítimas tiveram os corpos mutilados e desfigurados, inclusive degoladas
 
Continua hospitalizado em estado grave no Pronto-Socorro Municipal de Cuiabá (PSMC), o jovem Renan Cardoso Pereira, de 20 anos, que escapou de ser executado por volta das 4 horas da madrugada desta sexta-feira (20). Renan, na realidade sobreviveu por puro milagre de mais uma execução a bala na periferia de Cuiabá, onde existiriam alguns grupos de extermínios agindo.
 
A vítima estava à toa na praça do Jardim Florianópolis, na periferia de Cuiabá, quando um homem desceu de uma moto e começou a atirar. Renan se jogou no chão e começou a rolar.
 
Mesmo assim o jovem foi atingido pelo menos uma vez na altura do abdome e continua hospitalizado em estado grave. “O Renan escapou de mais uma execução.
 
Acredito que existam um ou mais grupos de extermínios eliminando pessoas, principalmente com passagens pela Polícia”, comentou um policial que pediu para não ser identificado.
 
Somente este ano, pelo oito, dos 13 assassinatos registrados pela Polícia, as vítimas tinham algum tipo de envolvimento com a Polícia e com a Justiça. A maioria além de viciado, também estava envolvido com o tráfico de drogas.
 
No ano passado, segundo dados da Polícia, mais de 300 pessoas foram executados, sempre por uma dupla de motoqueiro, ou por matadores que chegavam aos locais das execuções de carro . A Polícia investiga as mortes, e não descarta a existência de um ou mais grupos de exetermínios em Cuiabá e Várzea Grande.
 
 
José Trindade/ Da Redação

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário