21/01/2014 - Henry quer reduzir pena trabalhando

O ex-deputado federal Pedro Henry (PP) tenta na Justiça retornar ao cargo de médico legista do Estado. O curioso é que ele só exerceu a função por 12 anos e ficou afastado por outros 18 anos, além de acumular o cargo de vice-prefeito de Cáceres entre 1984 e 1996. O ex-parlamentar foi condenado a 7 anos e 2 meses de prisão em regime semi-aberto por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no julgamento do Mensalão.

Para não ficar na cadeia, Henry tenta outra manobra jurídica. A defesa dele recorreu à Vara de Execuções Penais de Cuiabá para que o progressista possa estudar no período da noite. O pedido será analisado pelo juiz Geraldo Fidélis. Atualmente o mensaleiro só conseguiu autorização judicial para trabalhar no Hospital Santa Rosa, em Cuiabá.

Caso consiga deixar a Polinter - onde cumpre pena - para estudar, o ex-deputado ficará aproximadamente menos 5 horas na unidade prisional. Um dos advogados de Henry, Raphael de Freitas Arantes disse que a tentativa é possível já que há casos em que presos conseguiram liberação para estudar no período noturno.

Quanto ao retorno do mensaleiro para o cargo público, o advogado ressalta que pelo fato do cliente ter sido condenado em ação penal, não por improbidade administrativa, por exemplo, também há possibilidade do juiz autorizar o retorno de Henry à função de médico legista do Estado.  

Henry é médico com especialização em anestesia, perícia médica legal e medicina hiperbárica (tratamento baseado no uso de oxigênio puro em câmaras pressurizadas para cicatrização de feridas e combate a infecções). No Santa Rosa ele terá remuneração mensal de R$ 7,5 mil. A intenção do progressista é trabalhar no IML em regime de plantão, aos domingos. 

 

Victor Cabral

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário