21/02/2015 - VERGONHA NACIONAL: JN expõe caos do VLT e alerta para segurança de obras em MT

Uma auditoria feita pela Controladoria Geral de Mato Grosso encontrou problemas em 14 obras para a Copa do Mundo. Sete meses depois do mundial, algumas ainda não ficaram prontas.

O relatório da auditoria aponta problemas que vão desde atrasos até falhas estruturais. Na lista das obras está a mais cara de todas. O VLT - Veículo Leve sobre Trilhos. O projeto prevê a construção de duas linhas com 22 quilômetros de extensão.

Entre os problemas apontados pelo relatório estão: falta de um cronograma de execução da obra e falta de projetos executivo e de desapropriação das áreas afetadas; também foram identificados problemas na qualidade das obras em execução, e no que já foi executado. Os técnicos declaram que sem projetos adequados não há como garantir a qualidade e até a segurança das obras.

O VLT começou a ser construído em junho de 2012 e a previsão era de que ficasse pronto antes da Copa. Mas até agora, segundo o laudo técnico, apenas 16% dos trabalhos foram concluídos. E o consórcio responsável pela obra já recebeu mais de R$ 1 bilhão.

Originalmente, o orçamento total do VLT era de R$ 1,477 bilhão. Mas segundo o governo de Mato Grosso, serão necessários pelo menos mais R$ 500 milhões para a conclusão da obra. “O recurso existe, mas há outras prioridades da sociedade que precisam ser colocadas para uma decisão madura de quanto investir e em que projeto", afirma o secretário de Projetos Estratégicos Gustavo de Oliveira.

Outra obra com problemas é um viaduto. Ficou pronto, mas está interditado há seis meses por falhas na estrutura que poderiam comprometer a segurança. Já os centros de treinamentos para a Copa nunca foram concluídos e as obras estão abandonadas. “Isso é uma vergonha né. A cidade sede da Copa do Mundo não conseguir terminar as obras. Tudo mal feito”, reclama o motorista Sidney Paiva.

Os Ministérios Públicos Federal e Estadual de Mato Grosso entraram com uma ação contra o ex-governador Silval Barbosa, do PMDB, pelos prejuízos com a obra inacabada do VLT. O ex-governador disse que a entrega foi adiada por dificuldades no projeto e o consórcio responsável pela obra afirmou que o atraso foi causado pela demora no pagamento e na liberação de terrenos. O atual governador Pedro Taques, do PDT, disse que vai cobrar na Justiça a devolução do dinheiro gasto a mais e que não há prazo para a conclusão dos centros de treinamento.

 

 

 

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário