21/03/2016 - Policiais Militares da 2ª CIA em São Félix do Araguaia recebem instrução para diversas situações

21/03/2016 - Policiais Militares da 2ª CIA em São Félix do Araguaia recebem instrução para diversas situações

 

De acordo com o comandante da 2ª CIA em São Félix do Araguaia – MT, 1º Tenente Marcelo de Oliveira Conde, realizou uma palestra sobre abrangências Policiais, o objetivo do treinamento é orientar sobre o manuseio de explosivos para prevenir possíveis ocorrências com uso do material aqui na região, e também, saber como agir quando acontecerem.

<p class="MsoNormal" style="margin-bottom: 0.0001pt; line-height: normal; text-align: center;" "=""> 

Após a chegada da autoridade policial competente (delegado de polícia, que representa a polícia judiciária) no local de crime, conforme preconiza o já mencionado artigo 6º do Código de Processo Penal Brasileiro, o policial militar que atendeu a ocorrência entregará o local a este, transmitindo todas as informações e impressões obtidas. E, prioritariamente, quando a autoridade policial se defrontar com o local de ocorrência do delito criminoso, esta buscará preservar o local até a chegada dos peritos, e, buscará outras evidências que possam colaborar na investigação policial.

A polícia militar, sendo uma instituição pública prestadora de serviços à comunidade, exerce sua missão constitucional de policia ostensiva, e, nesse sentido, destaca-se dentre suas atribuições, a promoção do devido isolamento do local de crime, assim como de sua preservação. O estudo aponta novos caminhos no enfrentamento aos desafios postos à segurança pública, com intuito de transformar a polícia, tida como repressiva, numa preventiva com viés educativo, sem perder de foco o seu maior objetivo institucional: a paz social e o bem-estar dos indivíduos e visando Melhoria no atendimento a sociedade.

 

Portanto, o policial que primeiramente chegar ao local do crime, no que concerne aos procedimentos referentes aos vestígios e evidências, deverá isolar a área de ocorrência do evento criminoso, não permitindo a alteração das coisas, assim, como do cadáver, se houver; deverá também, evitar que qualquer pessoa tenha contato com os vestígios, assim como para com os instrumentos do crime, resguardando-os, a fim de serem oportunamente analisados pelos profissionais de perícia.

 

A finalidade é adaptar os policiais recém-ingressos a atuar em ocorrências de maior complexidade, ou seja, que vão além da capacidade operacional ordinária da força policial local. Eles precisam estar preparados diante de qualquer cenário adverso que oferece riscos à sociedade e à abordagem policial, cuja natureza demanda uma série de conhecimentos específicos, como crises com reféns localizados, distúrbios civis e ocorrências envolvendo artefatos explosivos.

 

Neá Rondon/O Repórter do Araguaia

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário