21/04/2016 - Esposa de filho de dono de shopping relata que era dopada e só assistia o que ele mandava

21/04/2016 - Esposa de filho de dono de shopping relata que era dopada e só assistia o que ele mandava

A jovem M.C.M.S., 23 anos, que acusa o marido Hélio Pereira Cardoso Neto, de 37 anos, de torturá-la e mantê-la em cárcere privado, relatou em depoimento obtido com exclusividade pelo Olhar Direto que era dopada pelo suspeito. Além disto, a vítima só poderia assistir a programas que fossem gravados por ele. Hélio teve mandado de prisão preventiva expedido pela Justiça  na data de 15 de abril e é considerado foragido. Em razão das denúncias, além do mandado de prisão, medidas protetivas  foram decretadas e ele deve manter distância de um quilômetro da garota, não manter  nenhum tipo de contato. A Justiça determinou ainda a suspensão da posse e/ou restrição ao uso de armas.

 
Conforme os relatos da jovem, que constam em Termo de Declarações (TC) à Polícia Civil, ela era convencida pelo rapaz a tomar um medicamento  chamado de “Olcadil”, que é indicado para distúrbios emocionais, comportamentais e do sono. O acusado alegava que os dois deveriam tomar o remédio para “regular o sono”. Este medicamento é de uso controlado e causa dependência. Ela fez uso  dele durante seis meses.
 
Ainda no relato, a mulher contou ainda era proibida de ligar a televisão sozinha e não poderia nem mesmo pegar o controle remoto e escolher o canal. Hélio era o responsável por gravar programas de TV dos quais, segundo ele, a garota poderia acompanhar. Porém, isso só depois dele verificar o tipo da programação.  Enquanto o homem verificava os canais, ela tinha de permanecer de cabeça baixa e não poderia “seque olhar o reflexo, somente quando ele dizia para ela levantar a cabeça e olhar”.
 
O depoimento ainda narra que as chaves da casa do casal sempre permaneciam debaixo do travesseiro do autor. “Quando acordavam, ele abria a porta e permanecia o tempo todo ao lado da mesma”. A postura de manter a cabeça baixa era constante no cotidiano de M., que nem mesmo na presença dos sogros poderia olhar ao redor.
 
Medidas restritivas
 
A Polícia Civil requisitou a aplicação das seguintes medidas protetivas de urgência: suspensão da posse/restrição do porte de armas do acusado; aproximação da ofendida, dos seus familiares e das testemunhas no limite mínimo de 1000 metros (1 km); contato com a ofendida, familiares e testemunhas por qualquer meio de comunicação; frequentação de lojas e residências de familiares da jovem. Ainda foi pedida a dissolução da união estável.
 
O caso
 
O filho de um dos sócios de um shopping situado no bairro Jardim das Américas, Hélio Pereira Cardoso Neto, de 37 anos, é acusado de agredir e manter a esposa em cárcere privado por quase dois anos. Segundo a denúncia, a qual o Olhar Direto  teve acesso com exclusividade, ele é suspeito de torturar física e psicologicamente a vítima, identificada como M.C.M.S., 23 anos.
 
Segundo o relato, ela era agredida com socos na cabeça, só podia fazer necessidades fisiológicas na presença do marido e quando saia, tinha de manter a cabeça baixa. Hélio, que tem mandado de prisão preventiva decretado pela juíza Ana Cristina Silva Mendes, da Vara Especializada de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher de Cuiabá, está foragido.
 
Outro lado
 
A reportagem do Olhar Direto entrou em contato com o advogado de Hélio, que explicou: ainda "não tenho conhecimento algum sobre o caso. Ainda vou me inteirar do assunto, pelo que sabemos está em segredo de Justiça. O que sei é que existe esta denúncia e posso te afirmar que acompanhei o mandado de busca e que foi encontrada sim uma arma, mas ao que parece, ela não é dele e tinha registro". Por fim, o advogado Anderson Nunes de Figueiredo, afirma que irá apresentar o seu cliente no momento certo.

 

 

 

 

Da Redação - Wesley Santiago

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário