21/06/2013 - Milhares protestam em Lucas, Nova Mutum e Sorriso

Sorriso teve maior número de participantes, esta noite, na região Norte, no manifesto popular com diversas cobranças aos governantes. A estimativa é que 1,5 mil pessoas participaram. O manifesto foi pacífico e não houve incidentes. Eles passaram em frente a câmara e a prefeitura - onde houve parada-. Eles levam faixas e cartazes onde está escrito "Fora Dilma", "Não queremos copa, queremos saúde", "contra PEC 37", "a copa está custando 550 milhões de sacas de soja, quanto mais nós produtores teremos que pagar". Sorriso é a capital nacional na produção de soja.  Há também manifestos contra homofobia e  contra o governo municipal.
 
Os sorrisenses saíram da praça da Juventude pela Natalino Brescansin e Tancredo Neves. Algumas ruas foram bloqueadas pela Guarda de Trânsito para ser feita a passeata sem riscos de acidentes. O protesto não teve adesão apenas de jovens e estudantes, mas casais, profissionais liberais, dentre muitas outras pessoas, também fortaleceram o movimento.
 
Em Lucas, cerca de 500 pessoas participaram de passeata, em Lucas do Rio Verde, pela avenida Rio Grande do Sul. Eles passaram pela avenida Paraná e foram até a avenida Amazonas (lateral da BR-163). Jovens, estudantes e profissionais liberais levavam faixas e cartazes cobrando mais investimentos em saúde, educação e reforçando a mobilização nacional contra a corrupção. A guarda está controlando o trânsito para evitar acidentes. O principal alvo das críticas foi o governo federal. O município, assim como Mutum, não tem UTI.
 
Em Nova Mutum, cerca de 400 pessoas estiveram no manifesto pacífico contra a corrupção, melhorias em serviços públicos e valorização do ser humano. A convocação da população mutuense para o movimento foi realizada por meio de redes sociais. Eles percorrem a avenida Mutum e vão parar em frente à prefeitura. "Nova Mutum está junto com os cuiabanos e brasileiros no grande manifesto do dia 20", expõe um dos coordenadores do manifesto, em postagem na sua página em rede social. São 2 grupos de manifestantes se uniram em uma só causa. Um dos grupos é formado por acadêmicos de uma universidade local e o outro de pessoas que fizeram a mobilização pela internet.  Levando faixas e cartazes, cobram melhores condições para a BR-163, protesto contra a corrupção e a PEC 37 (que tira o poder de investigação do Ministério Público). Outra cobrança é pela duplicação da BR-163 em Nova Mutum devido a grande quantidade de acidentes na rodovia. O promotor Leandro Volochko também participa e engrossa o coro contra a PEC.
 
Em Sinop, o manifesto está previsto para amanhã à tarde e já obteve apoio da CDL - Câmara dos Dirigentes Lojistas - apontando que várias empresas vão fechar as portas em apoio
 
 
Alex Fama/Diego Weber/Altair Anderli/Ivan Oliveira